Geral

Ceia de Natal em Campo Grande fica mais cara

O último levantamento do IPC/Campo Grande, realizado pela Universidade Anahanguera Uniderp, na semana passada, indica que o valor da Ceia de Natal estará um pouco mais elevado do que em 2011. Considerando os produtos básicos e comuns de uma ceia, o campo-grandense poderá gastar em média mais de 9%. A maioria dos alimentos e bebidas […]

Arquivo Publicado em 12/12/2012, às 11h42

None
966401938.JPG

O último levantamento do IPC/Campo Grande, realizado pela Universidade Anahanguera Uniderp, na semana passada, indica que o valor da Ceia de Natal estará um pouco mais elevado do que em 2011. Considerando os produtos básicos e comuns de uma ceia, o campo-grandense poderá gastar em média mais de 9%.


A maioria dos alimentos e bebidas normalmente consumidos nesta época está mais cara. A maior alta verificada nas carnes natalinas ficou para: presunto (49%), chester (29%) e peru (22%).


Para fazer uma simples bacalhoada, os seus ingredientes básicos também tiveram os seus preços aumentados. O bacalhau tipo ling subiu 13% e o porto 7%, a batata mais de 48%, a cebola quase 30%, tomate 19%, a azeitona 2%. O azeite de oliva permaneceu estável.


Os registros indicam que a carne de cordeiro apresenta uma queda de mais de 39%. Já os alimentos tradicionais do dia-a-dia subiram muito. O arroz está 62% mais caro e o feijão quase 38%.


Se a mesa for decorada com frutas, elas também pesarão no custo da ceia. O abacaxi subiu 10%, a ameixa 6%, a laranja 2%, a maçã 18%, a manga e a melancia quase 14%. Diminuíram os preços do pêssego, que caiu mais de 30%, a nectarina em 7% e a uva comum com o preço estável. As nozes e castanhas do Pará sofreram aumentos de menos de 2%. Já o panetone ficou em média 15% mais caro.


As bebidas tradicionais desta época sofreram variações significativas. A cerveja aumentou em média 11%, os refrigerantes quase 6%. Os vinhos nacionais ficaram mais caros quase 25% e os espumantes mais baratos 6%.


A receita para enfrentar estes aumentos nos preços é pesquisar e procurar outras escolhas nas receitas natalinas, substituindo os produtos pelos mais baratos. Outra alternativa será esperar pela redução preço de alguns produtos, pois os supermercados sempre fazem algumas promoções nos dias próximos do Natal.

Jornal Midiamax