Geral

Campo Grande deverá ter orçamento de mais de R$ 2,6 bilhões em 2013

Parte do recurso será utilizado para instalar câmeras no centro da Capital, conforme determina emenda aprovada pelos vereadores

Arquivo Publicado em 14/06/2012, às 18h38

None
1839481140.jpg

Parte do recurso será utilizado para instalar câmeras no centro da Capital, conforme determina emenda aprovada pelos vereadores

Os vereadores de Campo Grande aprovaram na sessão ordinária desta quinta-feira (14) a LDO (Lei de Diretrizes Orçamentárias), que dispõe sobre as normas para elaboração da Lei Orçamentária do município para o exercício financeiro de 2013. A expectativa é atingir orçamento de mais de R$ 2,6 bilhões, com crescimento de 5,5% em relação à este ano.


Foram apresentadas 34 emendas, mas apenas quatro foram incorporadas ao texto. De acordo com o vereador Herculano Borges (PSC), presidente da Comissão Permanente de Finanças e Orçamento e também relator da LDO, as demais foram rejeitadas por estarem “prejudicadas”.


Uma das emendas prevê o videomonitoramento em Campo Grande. A proposta é dos vereadores Mário César (PMDB), Marcos Alex (PT), Paulo Siufi (PMDB), Carlão (PSB) e Vanderlei Cabeludo (PMDB).


Outras sugestões, ambas de autoria de Mário César, tratam da contenção de enchentes no município e da sequência nos estudos de implementação do Plano de Cargos e Remuneração do Funcionalismo Público.


Menos cimento e mais fomento


Recordista na apresentação de emendas com 23 propostas, a vereadora Thais Helena (PT) foi a única a manifestar-se contrária ao projeto. “Primeiro, porque nenhuma emenda minha foi incorporada ao texto”, explicou.


Também a levou a votar contra a LDO o fato de não observar nenhuma evolução com cunho social. “Não vejo atenção ao social, defendo um olhar mais profundo para o cidadão, à qualidade de vida das pessoas”, ressaltou Thais Helena.


Para ela, o orçamento segue focado em obras, sem “resolver problemas sérios nos setores de saúde e trânsito”. “Não vejo nada tratando de prevenção, está na hora de a administração focar menos no cimento e mais no fomento”, concluiu. Agora, a LDO segue para sanção do prefeito Nelsinho Trad (PMDB).

Jornal Midiamax