Geral

Caldo Cultural reúne grupo da República Tcheca em Batayporã

O Caldo Cultural realizado pelo Grupo de Dança Tcheca e Eslovaca Klenot, da cidade de Batayporã, emocionou o público que se fez presente no Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação (Simted) na noite de sábado (28). Segundo a organização, mais de 200 pessoas prestigiaram o evento. Um dos pontos altos do Caldo Cultural foi a […]

Arquivo Publicado em 30/07/2012, às 20h22

None
176066959.jpg

O Caldo Cultural realizado pelo Grupo de Dança Tcheca e Eslovaca Klenot, da cidade de Batayporã, emocionou o público que se fez presente no Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação (Simted) na noite de sábado (28). Segundo a organização, mais de 200 pessoas prestigiaram o evento.

Um dos pontos altos do Caldo Cultural foi a apresentação do Grupo Oldsava, da cidade de Uhersky Brod, na República Tcheca. Com suas danças típicas e música interpretada ao vivo, o conjunto atraiu a atenção e arrancou aplausos do público.

Durante o evento, os participantes puderam ainda saborear porções de caldo de mandioca e caldo de feijão, servidos à vontade pela organização.

O Caldo Cultural foi organizado pelo Grupo Klenot com objetivo de arrecadar fundos para a participação em um festival cultural, que será realizado na República Tcheca no mês de setembro. Outras promoções como a venda de tapiocas e a rifa de uma televisão também são realizadas pelos integrantes com o mesmo intuito.

A República Tcheca vai disponibilizar aos visitantes, hospedagem, alimentação e transporte dentro do país, restando apenas ao grupo angariar fundos para custear as passagens de avião. Ao todo, 20 pessoas viajarão para aquele pais, sendo que oito, dependem dos recursos obtidos. O valor da passagem por pessoa é de R$ 2.800.

O Festival

Com a ditadura comunista que marcou a República Tcheca a partir de 1948, muitos membros daquele país fugiram para terras distantes em vários pontos do mundo e permaneceram isolados de sua terra natal até por volta de 1990 quando ocorreu a revolução.

Apesar da distância que os separou de seu povo, muitos tchecos mantiveram vivas suas tradições. O festival cultural, que será realizado de 20 a 27 de setembro, tem como objetivo principal reunir e homenagear estas pessoas e seus descendentes, por isso são esperadas comitivas de várias partes do mundo.

Apenas duas caravanas do Brasil participarão do evento, o Grupo Klenot, de Batayporã, que representará também o estado de Mato Grosso do Sul e um grupo do Rio Grande do Sul.

As apresentações serão realizadas no Teatro Nacional de Praga, capital da República Tcheca. Segundo os integrantes do Grupo Klenot, além da cultura típica daquele país, eles, como bons brasileiros, levarão na bagagem um pouco da cultura verde-amarela, composta por elementos como o catira, berrante, tradições pantaneiras e festas juninas.

O grupo de Batayporã se apresentará oficialmente no dia 24, porém as autoridades tchecas organizaram uma agenda a ser cumprida pela caravana em várias cidades.

Para Dolores Bata, neta do tcheco Jan Antonin Bata, fundador de Batayporã, o objetivo principal do grupo de dança é manter viva a chama das tradições, tanto do povo tcheco quando do povo brasileiro.

“Queremos que as futuras gerações conheçam melhor a sua história e saibam da importância das tradições para a manutenção de um nível cultural elevado e de qualidade”, explica ela.

Jornal Midiamax