Geral

Cacique diz que espera que estudante seja punida por comentários racistas

O cacique da Aldeia Urbana Marçal de Souza, Ênio Oliveira, que também é presidente do Conselho Comunitário de Segurança Urbano Indígena, disse que espera que a a estudante de Dourados que teria feito comentários racistas contra o grupo indígena de rap Bro MC’s seja punida na forma da lei. “Espero que ela seja punida no […]

Arquivo Publicado em 18/04/2012, às 18h30

None

O cacique da Aldeia Urbana Marçal de Souza, Ênio Oliveira, que também é presidente do Conselho Comunitário de Segurança Urbano Indígena, disse que espera que a a estudante de Dourados que teria feito comentários racistas contra o grupo indígena de rap Bro MC’s seja punida na forma da lei.


“Espero que ela seja punida no rigor e na forma da lei. Isso é uma atrocidade com o nosso povo. Uma falta de respeito com o índio. Espero que o Ministério Público se deduqie nesta investigação”, apontou.


Para o cacique, essa reação da estudante demonstra como a sociedade branca perdeu o respeito pelo índio, pela cultura do povo.


A estudante se retratou durante a noite da segunda-feira (16) em sua página pessoal do Facebook. Entretanto, o Ministério Público Federal disse que continuará as investigações para saber se houve racismo no comentário. Caso seja comprado o crime, a estudante responderá pelo pronunciamento.


Racismo


A pena prevista para o crime de racismo é de um a três anos de reclusão. Quando é cometido por intermédio dos meios de comunicação social ou publicação de qualquer natureza, a pena passa a ser de dois a cinco anos de prisão e multa. A autora das mensagens e as pessoas que as reproduziram também poderão ser chamadas a depor e, em tese, responderão a ação penal por racismo.

Jornal Midiamax