Geral

Butantan faz exposição sobre grandes epidemias

Doenças como a peste negra, varíola, meningite, aids e gripe têm suas histórias contadas na exposição Grandes Epidemias, instalada do Museu de Microbiologia do Instituto Butantan, em São Paulo. Televisores e painéis, com a ajuda de sensores de movimento, explicam como cinco epidemias assolaram a humanidade. Um dos destaques da exposição é a peste negra, […]

Arquivo Publicado em 15/12/2012, às 19h28

None

Doenças como a peste negra, varíola, meningite, aids e gripe têm suas histórias contadas na exposição Grandes Epidemias, instalada do Museu de Microbiologia do Instituto Butantan, em São Paulo. Televisores e painéis, com a ajuda de sensores de movimento, explicam como cinco epidemias assolaram a humanidade.

Um dos destaques da exposição é a peste negra, denominação dada na Europa do século 14 à forma pulmonar da doença, caracterizada por hemorragias embaixo da pele, que formam manchas escurecidas. Estima-se que a doença, transmitida ao ser humano por meio das pulgas de ratos e de outros roedores, tenha matado de 25 a 75 milhões de pessoas no século 14.

“Queremos levar informação ao público sobre o que é uma epidemia e a importância de se prevenir, porque a epidemia pode sempre voltar a existir”, disse a educadora do museu do Instituto Butantan, Juliana Moraes.

Outro destaque é a história da varíola, doença contagiosa que foi declarada extinta do planeta na década de 1970, graças a campanhas de vacinação. De origem viral, a doença é caracterizada por febre, dor no corpo, vômitos e lesões cutâneas.

O visitante poderá ter mais informações sobre cada uma das epidemias por meio de vídeos rápidos, com duração de sete minutos cada. A entrada para a exposição custa R$ 6. Estudantes com identificação pagam R$ 2,50. Crianças de até 7 anos, idosos a partir de 60 e pessoas com deficiência não pagam.

Jornal Midiamax