Geral

Bovespa fecha em baixa de 0,54%, e dólar avança para R$ 2,031

A Bovespa fechou em baixa nesta segunda-feira (27). O Ibovespa (principal índice da Bolsa) fechou em queda de 0,54%, aos 58.111,46 pontos. No mês, o índice acumula alta de 3,59% e no ano, de 2,39%. Veja no UOL a cotação das ações e fechamentos anteriores da Bolsa. A cotação do dólar fechou o dia em […]

Arquivo Publicado em 27/08/2012, às 20h19

None

A Bovespa fechou em baixa nesta segunda-feira (27). O Ibovespa (principal índice da Bolsa) fechou em queda de 0,54%, aos 58.111,46 pontos. No mês, o índice acumula alta de 3,59% e no ano, de 2,39%. Veja no UOL a cotação das ações e fechamentos anteriores da Bolsa.

A cotação do dólar fechou o dia em alta de 0,29%, a R$ 2,031 na venda, acompanhando o movimento de outras moedas no exterior e com investidores mostrando cautela à espera de sinalizações dos bancos centrais no mundo sobre possíveis medidas de estímulo econômico. No mês, a moeda norte-americana acumula queda de 0,90%, e, no ano, valorização de 8,67%.

Bolsas internacionais

A Bolsa de Nova York fechou o dia sem direção definida, refletindo a cautela dos investidores antes de um esperado discurso do presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central dos Estados Unidos), Ben Bernanke, que acontecerá nesta sexta-feira.

O Dow Jones retrocedeu 0,25%; o índice amplo S&P 500 fechou o dia quase estável, com leve queda de 0,05%; e o termômetro da tecnologia, Nasdaq, subiu 0,11%.

As ações europeias fecharam em alta, lideradas pelo grupo de telecomunicação Nokia, com a perspectiva de novas medidas de estímulo de bancos centrais continuando a escorar o mercado.

Operadores disseram que comentários de uma autoridade do Federal Reserve, banco central norte-americano, dando conta de que a autoridade monetária deve lançar uma nova rodada de estímulo ajudou imediatamente a encorajar os mercados, como fez uma crença de que o Banco Central Europeu (BCE) também agiria em breve.

“Estamos cautelosamente otimistas de que governos e bancos centrais parecem ter reconhecido que intervirão (nos mercados). Haverá mais flexibilização pela frente”, avaliou o chefe de alocação de ativos no banco suíço Gonet, Cyrille Urfer.

As Bolsas da Ásia caíram, antes da reunião do encontro de membros de bancos centrais em Jackson Hole (EUA) no final da semana, com investidores em busca de sinais claros de mais afrouxamento monetário.

As ações de Xangai tombaram 1,74%, para o menor nível desde março de 2009, com expectativas menores de um afrouxamento agressivo na China. Já o índice Nikkei do Japão teve ligeira alta de 0,16%. (Com informações da Reuters)

Jornal Midiamax