Geral

Boni sobre abertura de ‘Av. Brasil’: “aquilo não é música”

Um dos homens mais importantes e poderosos da história da televisão brasileira, José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, participou do Programa Raul Gil neste sábado (15), no quadro Para Quem Você Tira o Chapéu? Ele tirou o chapéu para todas as pessoas da lista: a presidente Dilma Roussef (“tem coragem para enfrentar as crises”), […]

Arquivo Publicado em 15/12/2012, às 19h18

None

Um dos homens mais importantes e poderosos da história da televisão brasileira, José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, participou do Programa Raul Gil neste sábado (15), no quadro Para Quem Você Tira o Chapéu? Ele tirou o chapéu para todas as pessoas da lista: a presidente Dilma Roussef (“tem coragem para enfrentar as crises”), Marília Gabriela, pela ousadia e determinação de ir atrás do que quer, Hebe (“uma grande amiga que deixou muita saudade”) e o próprio Raul Gil. Boni, no entanto, foi muito crítico com a violência, as drogas, o fumo e a política nacional.

Ele também endereçou críticas ao cinema nacional, que, segundo Boni, possui qualidade, mas não encontrou sua fórmula industrial. “Ainda há muita dificuldade de financiamento e distribuição.” Outro alvo foi a MPB. “Não tiro o chapéu para a música que está sendo tocada no rádio, diversos artistas de qualidade não tem espaço. Adorava Avenida Brasil, mas não conseguia ouvir aquela abertura. Aquilo não é música”, brincou.

Boni ainda comentou a polêmica entre Mário Meirelles, diretor do TV Xuxa, que chamou os telespectadores do desenho Pica Pau de retardados. “É um grande profissional, e o Pica Pau é um desenho extraordinário. A competição é saudável”, comentou. “Aqulo foi um rompante. Sempre digo que o Twitter e as redes sociais são uma forma de suicídio coletivo. Precisa ter muito cuidado, porque às vezes você escreve algo que se arrepende depois.”

Jornal Midiamax