Geral

Bancada nem pensa em rever indicação a superintendência do Dnit-MS, diz Resende

Após irregularidades apontadas pelo TCU (Tribunal de Contas da União) envolvendo o nome do indicado pela bancada federal Carlos Antônio Pachoal ao cargo de Superintendente do Dnit-MS, a bancada federal do Estado alega que nem pensa em rever a indicação. Segundo o coordenador, deputado Geraldo Resende (PT), a bancada federal seguiu uma indicação dos servidores […]

Arquivo Publicado em 09/01/2012, às 13h22

None
Após irregularidades apontadas pelo TCU (Tribunal de Contas da União) envolvendo o nome do indicado pela bancada federal Carlos Antônio Pachoal ao cargo de Superintendente do Dnit-MS, a bancada federal do Estado alega que nem pensa em rever a indicação.
Segundo o coordenador, deputado Geraldo Resende (PT), a bancada federal seguiu uma indicação dos servidores do Dnit-MS e apenas a validou. Com o surgimento de denúncias do TCU envolvendo o nome do candidato, o deputado alega que é preciso cautela para indicar outra pessoa. 
“Como em toda obra grande neste País, o TCU em algum momento pode apontar irregularidades, mas isso não quer dizer que elas existam de fato”, explicou. “Para a bancada sair com outro nome seria preciso comprovar que o Pachoal está envolvido em irregularidades, e não cabe à bancada federal levantar a ficha do funcionário”, declarou.
O deputado federal Fábio Trad (PMDB) disse que enviará ainda nesta segunda-feira (9) ao Ministério dos Transportes um documento retirando a sua assinatura da indicação feita pela bancada. 
Para Antônio Carlos Biffi (PT), os indícios que apontariam irregularidades em obras envolvendo o nome de Pachoal não são suficientes para que ele tenha a mesma atitude do deputado Fábio Trad. “Ele é investigado pelo TCU, não é condenado. Eu segui a indicação da bancada como um todo”, esclareceu. 
Jornal Midiamax