Geral

Azambuja diz que eleitor não deve temer ameaças e promete sortear casas em público

Após ouvir vários relatos da dificuldade de moradores dos bairros Coophavila II e do Portal Caoibá I de conquistarem casa própria, o deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB), candidato a prefeito de Campo Grande, prometeu que em sua gestão as unidades habitacionais serão distribuídas por meio de sorteio em praça pública. O tucano aproveitou ainda para […]

Arquivo Publicado em 27/08/2012, às 19h35

None
1217473660.jpg

Após ouvir vários relatos da dificuldade de moradores dos bairros Coophavila II e do Portal Caoibá I de conquistarem casa própria, o deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB), candidato a prefeito de Campo Grande, prometeu que em sua gestão as unidades habitacionais serão distribuídas por meio de sorteio em praça pública. O tucano aproveitou ainda para encorajar os moradores dos bairros a não aceitar votar por pressão.


De acordo com o candidato, a falta de transparência na distribuição de moradias populares vai acabar a partir de janeiro, se ele assumir o cargo de prefeito. “Vamos levar uma urna para a praça pública, como fiz durante os oito anos que administrei Maracaju e sortear as casas. É o mais justo”, defendeu Reinaldo Azambuja.


Segundo ele, “em Campo Grande, se você não tiver um padrinho político para tirar a casa logo, o cidadão é obrigado a esperar de sete a nove anos”. “Isso é um absurdo, uma humilhação”, comentou. Azambuja ainda prometeu construir cinco mil casas por ano para acabar com o déficit habitacional.


“Vamos acabar também com o favoritismo político, com esta mamata que garante aos apadrinhados políticos que entrem na fila várias vezes para pegar a casa e vender”, avisou. Segundo ele, a prefeitura vai criar, em sua administração, o programa “Meu Cantinho”.


Pressão


Diante de relatos de ameaças de perder a casa se o candidato da situação não vencer a eleição em Campo Grande, Azambuja fez questão de tranquilizar os moradores dos dois bairros. “Ninguém vai tomar suas moradias, ninguém tem o direito de lhe tirar o que você conquistou. Se estão dizendo que irão tirar, não acreditem”, declarou.


Para o candidato, o discurso não passa de “politicagem”. “No dia 7 de outubro, vocês estarão diante das urnas para responder a esse tipo de assédio moral descabido”, disse às pessoas que reclamaram estar há anos na fila a espera de uma casa, enquanto outras já estão na terceira ou quarta habitação.


(Com assessoria)

Jornal Midiamax