Geral

Australiano pega 13 anos de prisão por ameaçar jovem com colar-bomba

Após assumir ter colocado uma falsa bomba no pescoço de uma adolescente de uma das mais ricas famílias australianas, Paul Douglas Peters foi condenado a treze anos de prisão em julgamento realizado nesta terça-feira. As informações são da BBC e do jornal Sydney Morning Herald. Em uma aparente tentativa de extorsão, Peters colocou uma falso […]

Arquivo Publicado em 20/11/2012, às 11h48

None

Após assumir ter colocado uma falsa bomba no pescoço de uma adolescente de uma das mais ricas famílias australianas, Paul Douglas Peters foi condenado a treze anos de prisão em julgamento realizado nesta terça-feira. As informações são da BBC e do jornal Sydney Morning Herald.


Em uma aparente tentativa de extorsão, Peters colocou uma falso colar-bomba no pescoço de Madeleine Pulver, então com 18 anos, que foi feita refém dentro da própria casa, no bairro nobre de Mosman, em Sydney, em agosto de 2011.


Após isolar a área pelo risco de explosão e analisar o artefato por dez horas, o esquadrão antibombas declarou o objeto seguro. Peters assumiu seu crime somente em março de 2012.


De acordo com o juiz Peter Zahra, o acusado aterrorizou a vítima durante o sequestro. A crueldade pesou para a determinação da sentença: treze anos de prisão, sendo dez não-condicionais.


A defesa do réu argumentou que o comportamento foi fruto de uma depressão, já que o crime aconteceu pouco depois do fim do casamento de Peters. Ele teria ainda se tornado obcecado por uma novela sobre vingança que estava escrevendo e estaria confundindo ficção com realidade.


Madeleine Pulver se disse aliviada no final do julgamento, apesar de não ter superado o trauma totalmente. “Vai demorar para esquecer o que aconteceu. Mas ao menos justiça foi feita”, declarou.

Jornal Midiamax