Geral

Atriz Daryl Hannah, de ‘Kill Bill’, é presa no Texas

A atriz Daryl Hannah foi presa nesta quinta-feira (4) na tentativa de impedir a construção de um oleoduto na fazenda de Eleanor Fairchild, de 78 anos. A estrela se juntou à dona da propriedade, e se posicionou em frente ao maquinário da empresa TransCanada, para interromper a implantação da tubulação que vai cortar as terras […]

Arquivo Publicado em 05/10/2012, às 14h01

None
1285086831.JPG

A atriz Daryl Hannah foi presa nesta quinta-feira (4) na tentativa de impedir a construção de um oleoduto na fazenda de Eleanor Fairchild, de 78 anos. A estrela se juntou à dona da propriedade, e se posicionou em frente ao maquinário da empresa TransCanada, para interromper a implantação da tubulação que vai cortar as terras de Eleanor, em Winsboro – a propriedade foi sujeita a uma ordem de venda obrigatória para viabilizar o projeto.


A tubulação foi desenvolvida para transportar petróleo do Canadá para a costa do Golfo. Paul Bassis, agente de Daryl, confirmou a prisão e disse que os manifestantes devem continuar detidos. “Eles prenderam Daryl Hannah e uma senhora da zona rural, com idade para ser bisavó. As ruas de Winnsboro com certeza ficarão muito mais seguras agora que conseguiram tirar uma vovózinha de 78 anos de circulação”, ironizou.


Daryl já havia sido presa em 2011, em Washington, também por protestos contra os oleodutos. Ativistas, incluindo a atriz, acreditam que as tubulações carregam petróleo bruto com alto teor ácido que pode corroer o metal e provocar vazamentos. Eles alegam que, como esse petróleo não ser submetido a um processo de refinamento, um possível vazamento poderia contaminar o ar da região, que já sofre com a poluição.


A TransCanada afirma que o oleoduto em questão será o mais seguro já construído. O assunto já foi até colocado em debate pelo Presidente Barack Obama.


Um porta-voz da empresa se pronunciou sobre a prisão de Dary Hannah. “É uma pena que a Sra. Hannah, e outros ativistas de fora do estado, tenham decidido ir contra a lei invadindo uma propriedade privada”, declarou David Doson em nome da companhia. “Com esses atos, eles (manifestantes) colocam em risco sua segurança e a de terceiros”.

Jornal Midiamax