Geral

Athayde planeja concorrer a senador e defende candidatura de Reinaldo ao Governo do Estado

Em encontro estadual do PPS, Athayde defendeu a reedição para parceria com o PSDB em Campo Grande nas eleições estaduais e ganhou o apoio de correligionários

Arquivo Publicado em 08/12/2012, às 14h49

None
652543385.jpg

Em encontro estadual do PPS, Athayde defendeu a reedição para parceria com o PSDB em Campo Grande nas eleições estaduais e ganhou o apoio de correligionários

Satisfeito com a “dobradinha” com o deputado federal Reinaldo Azambuja (PSDB) na eleição em Campo Grande, o vereador Athayde Nery (PPS) defendeu, neste sábado (8), em encontro do PPS, a reedição da parceria com a sua candidatura ao Senado e a de Reinaldo à sucessão do governador André Puccinelli (PMDB), em 2014.


“Acho que o Reinaldo tem que ser candidato ao governo e eu coloco meu nome à disposição para concorrer ao Senado”, disse Athayde. “Defendo a reedição da nossa parceria”, completou.


Convicto com a possibilidade de a aliança dar certo, ele sugeriu começar desde agora a pavimentação das candidaturas para entrar com força em 2014. “Para chegar forte lá na frente, temos que começar a trabalhar agora”, frisou.


A sugestão, inclusive, leva em conta experiência vivida em Campo Grande. “Talvez, se tivéssemos mais uma semana de campanha teríamos chegado ao segundo turno da eleição”, ponderou Athayde.


A “dobradinha” dele com Reinaldo começou a corrida eleitoral com cerca de 4% das intenções de votos e encerrou o pleito com a adesão de 25,9% dos eleitores, dois pontos percentuais a menos que o segundo colocado, deputado federal Edson Giroto (PMDB).


Athayde, inclusive, já tem um norte para começar a planejar a campanha de 2014. “Como fizemos em Campo Grande, podemos fazer o “Pensando Mato Grosso do Sul”, sugeriu, fazendo menção ao projeto que ouviu 120 mil campo-grandenses para montar o plano de governo de Reinaldo à prefeitura da Capital.


O vereador ainda destacou que o cenário nacional contribui com o projeto de o PSDB concorrer ao governo, com o apoio do PPS. “Temos uma aliança nacional e a pré-candidatura do PSDB à presidência vai exigir uma tomada de posição dos tucanos no Estado”, comentou.


Apoio


Se depender da vereadora eleita, Luiza Ribeiro (PPS, Athayde concretizará a “dobradinha”. “Acho que é uma tendência o fim da concentração das candidaturas, isso não privilegia o debate”, observou. “Como em Campo Grande, defendo várias candidatura ao governo, inclusive, com a participação do PPS na chapa majoritária”, emendou.


Para ela, como todo o partido, o PPS precisa almejar o poder para colocar em prática suas propostas. “Estamos trabalhando também para ampliar nossa bancada na Assembleia Legislativa e para reconquistar nossa vaga de deputado federal”, acrescentou.


Por enquanto, prometem entrar na disputa pelo governo PT e PMDB. A pré-candidatura mais consolidada é do senador Delcídio do Amaral (PT), que, consciente da força de Reinaldo, tenta atraí-lo para disputar o Senado em sua chapa.


Ao mesmo tempo, o prefeito Nelsinho Trad (PMDB) luta para consolidar seu projeto de suceder Puccinelli. A vice-governadora Simone Tebet (PMDB) corre por fora e Reinaldo não descarta se lançar ao governo.

Jornal Midiamax