Geral

Assassinos de jovens são ouvidos e devem responder por crimes de tortura e latrocínio

Eles estão presos na Defurv e podem ser indiciados por ocultação de cadáver, formação de quadrilha, latrocínio (roubo seguido de morte), porte ilegal de arma e tortura

Arquivo Publicado em 02/09/2012, às 16h38

None
1542266480.png

Eles estão presos na Defurv e podem ser indiciados por ocultação de cadáver, formação de quadrilha, latrocínio (roubo seguido de morte), porte ilegal de arma e tortura

Quatro, dos cinco envolvidos na morte dos jovens Breno Luigi Silvestrini de Araújo de Araújo, de 18 anos, e Leonardo Batista Fernandes, de 19, permanecem presos na Defurv (Delegacia Especializada de Furtos e Roubos de Veículos). De acordo com a delegada titular, Maria de Lourdes Souza Cano, os criminosos serão apresentados nesta segunda-feira (3) e permanecerão na delegacia até o término das investigações. A investigação aponta que os jovens foram agredidos antes de serem executados.

A delegada colhe depoimentos dos criminosos neste domingo e o bando pode ser indiciado por ocultação de cadáver, formação de quadrilha, latrocínio (roubo seguido de morte), porte ilegal de arma e tortura. Eles ainda não receberam visitas de parentes e familiares.

A delegada explicou que, por não ter havido a interrupção na perseguição dos criminosos, após o desaparecimento e a prisão de uma mulher envolvida, o flagrante permanece caracterizado.

Estão presos Dayane Aguirre Clarindo, 25 anos; o marido dela Rafael da Costa Silva, 22 anos, apontado como autor dos disparos; Weverson Gonçalves Feitoza, 22 anos, vulgo “japinha” e Raul de Andrade Pinto, 18 anos.

O quinto envolvido é um adolescente de 17 anos, que seria irmão de Rafael e foi encaminhado para a Deaij (Delegacia Especializada de Atendimento a Infância e a Juventude).

À delegada, os criminosos disseram que mataram os jovens por que eles já tinham visto o rosto dels e poderiam repassar informações para a polícia.

A operação que resultou na captura do bando envolveu pelo menos 100 policiais das cidades de Aquidauana, Miranda, Corumbá e Campo Grande, atuando em conjunto.

Jornal Midiamax