Geral

Arquivo Público Estadual recebe o registro de ‘Memória do Mundo’ da Unesco

O acervo de documentos da Colônia Agrícola Nacional de Dourados – CAND (1943-1960), que está sob a guarda do Arquivo Público Estadual, unidade da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, receberá no próximo dia 4 de dezembro, em solenidade a ser realizada na sede do Arquivo Nacional, o registro de “Memória do Mundo” […]

Arquivo Publicado em 04/12/2012, às 20h11

None

O acervo de documentos da Colônia Agrícola Nacional de Dourados – CAND (1943-1960), que está sob a guarda do Arquivo Público Estadual, unidade da Fundação de Cultura de Mato Grosso do Sul, receberá no próximo dia 4 de dezembro, em solenidade a ser realizada na sede do Arquivo Nacional, o registro de “Memória do Mundo” da Unesco.



A importância deste certificado está no valor que agrega ao acervo, colocando-o em evidência no âmbito dos Arquivo Públicos do Brasil. A intenção da Unesco é que as ações do Comitê Nacional do Brasil e do Comitê Regional para a América Latina e o Caribe, sirvam como instrumento de valorização e difusão do patrimônio documental brasileiro, além da sensibilização do poder público e das agências de fomento a este setor para que estes implementem políticas de preservação e acesso à documentação. O Programa Memória do Mundo da Unesco reconhece patrimônios documentais de significância internacional, regional e nacional, mantém o seu registro e lhes confere um certificado que os identifica.



O Programa facilita também a preservação e o acesso a este patrimônio, sem discriminação, além de trabalhar para despertar a consciência coletiva do patrimônio documental da humanidade. É uma ação que visa a preservação da memória que se encontra na maior parte em bibliotecas, museus e arquivos existentes em todo o planeta e está sujeita aos danos causados por guerras, deslocamento acidental, pela deterioração e destruição.



A Colônia Agrícola Nacional de Dourados – CAND foi criada no governo de Getúlio Vargas, dentro do programa de expansão agrícola e colonização, no sul de Mato Grosso, hoje Mato Grosso do Sul. A CAND causou grande movimentação migratória no Brasil e no próprio Estado de Mato Grosso. Este programa, efetivamente promoveu o desenvolvimento populacional, econômico, político e social desta região. Algumas cidades que hoje compõem os 79 municípios de Mato Grosso do Sul, surgiram a partir da CAND.



Reunidos no Arquivo Nacional, nos dias 19 e 20 de setembro, os membros do Comitê Nacional do Brasil do Programa Memória do Mundo da UNESCO – MOWBrasil, após analisar as 36 candidaturas recebidas, votaram e aprovaram 10 nominações para o Registro Nacional do Brasil do Programa Memória do Mundo da UNESCO, de acordo com as regras do Edital MOWBrasil 2012.



Os acervos que foram nominados junto com o da Colônia Agrícola Nacional de Dourados são: Arquivo Herbert de Souza (1952-2003), do Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil – Fundação Getúlio Vargas, Atlas e Mapa do Cartógrafo Miguel Antônio Ciera (1758), da Fundação Biblioteca Nacional, Coleção Carlos Gomes do Museu Imperial (1855-1942), do Museu Imperial de Petrópolis, Coleção de Livros do Tombo do Mosteiro de São Bento da Bahia (1543-1818), do Mosteiro de São Bento da Bahia,Fundo Câmara Municipal de Ouro Preto (1711-1889), do Arquivo Público Mineiro, Livros dos Bens Livres Pertencentes aos Jesuítas, dos Colégios de Olinda e Recife, Pernambuco (1765-1768), do Instituto Arqueológico, Histórico e Geográfico Pernambucano, Mapa Etno-Histórico do Brazil e Regiões Adjacentes. Por Curt Nimuendajú (1943), do Museu Paraense Emílio Goeldi, Negativos de Vidro do Fundo Instituto Oswaldo Cruz – IOC (1903-1946), da Fundação Oswaldo Cruz e Processos Trabalhistas: Dissídios Coletivos e Individuais (1941-1985), do Memorial da Justiça do Trabalho em Pernambuco.



Os acervos serão reconhecidos por Portaria da Ministra de Estado da Cultura e a cerimônia de diplomação será realizada na cidade do Rio de Janeiro. O acervo da CAND está passando pelo processo de digitalização e breve estará a disposição da população no Arquivo Público Estadual, que fica no Memorial da Cultura e da Cidadania, na Av. Fernando Corrêa da Costa, 559. Mais informações nos telefones (67)3316-9139 e 3316 – 9137.


Jornal Midiamax