Geral

Após matar ex-mulher, homem recebe ligação de telemarketing e confessa crime; ouça

Ao atender telefone, assassino confesso revela para atendente que fez "cagadinha", referindo- se ao crime contra a ex-esposa.

Arquivo Publicado em 20/04/2012, às 20h53

None

Ao atender telefone, assassino confesso revela para atendente que fez “cagadinha”, referindo- se ao crime contra a ex-esposa.

Uma atendente de telemarketing ligou para Samuel dos Santos Silva, 34 anos, pouco tempo depois de ele assassinar a golpes de canivete sua ex-esposa, Laura Paez, na manhã desta sexta-feira (19), no bairro Nova Lima, em Campo Grande. A conversa, procedimento da empresa, foi toda gravada.

Samuel ligou para a empresa anteriormente ao crime. Depois uma atendente ligou para ele para confirmar dados e fazer o cadastro quando ele confessou que tinha atacado a ex-esposa e que ela morreu. O programa O Povo na TV, apresentado por Tatá Marques, no SBTMS, exibiu com exclusividade o diálogo entre a telemarketing e Samuel.

A atendente liga e pergunta se está tudo bem. Samuel responde: oh, moça. Bem, bem não tá não… fiz uma “cagadinha”. Neste momento a telemarketing pergunta por que e ele revela o crime. A moça parece não acreditar e ele reforça que a ex-mulher foi morta a facadas, que ele está pensado em ir para uma fazenda – provavelmente para se esconder. Ouça todo o diálogo abaixo.

O crime

Samuel Santos da Silva, 34 anos, matou a ex-esposa Laura Paes, 32, namanhã desta sexta-feira, 19, com dois golpes de canivete. De acordo com relato da filha de 13 anos, o motivo do crime foi porque o pai foi flagrado por ela enquanto estava na companhia de uma amante. A cena foi contada para a mãe Laura, que pediu separação e foi morar no bairro Nova Lima, região norte da Capital, com seus filhos.

Inconformado com a separação, Samuel passou a ameaçar a ex-esposa. Inclusive, consta um registro de ameaça dele contra Laura no dia 8 de abril deste ano. Depois disto foi concedida uma medida protetiva na tentativa de “blindar” Laura, que o proibia ficar a menos de 500 metros da ex.

No dia do crime, Samuel teria passado de um terreno baldio cercado com tela para o terreno da residência onde Laura estava com os filhos. Ele arrombou a porta da frente e a primeira pessoa a vê-lo foi uma filha do casal que o questionou sobre a presença dele na casa.

Samuel justificou que estava ali pra dar dinheiro para pagamento do aluguel onde Laura passou a morar com os filhos. Ela estava no banheiro e disse que já ia. O homem foi até o banheiro onde a ex estava e a golpeou pela primeira vez usando um canivete de pressão.

Conforme a filha que passou a ser testemunha chave no crime, o pai disse ao cometer o crime: “Se você não vai ser minha, não vai ser de mais ninguém”.

Laura foi transportada até a Unidade de Pronto Atendimento (UPA), no bairro Coronel Antonino e depois para a Santa Casa de Campo Grande, onde morreu por volta das 9h20 da manhã.

Horas depois de cometer o homicídio, a informação é que Samuel ligou para um conhecido – provavelmente um primo –contando o fato e dizendo que queria se entregar. Esta pessoa ligou para um amigo policial civil que foi ao local indicado pelo autor (Rua da Divisão) que contou sobre o crime e recebeu voz de prisão. O autor foi levado para a sede da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam), onde foi ouvido pela delegada Suzimar Batistela. De lá foi levado para uma cela provisória na 4ª DP, no bairro Moreninha. (Notícia editada as 19h45 para correção de informação).

Jornal Midiamax