Geral

Após farpas, Brasil pede saída de Valcke de negociações da Copa

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, enviou nesta segunda-feira à Fifa uma carta pedindo o afastamento do secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke, das negociações sobre a Copa do Mundo de 2014. Na carta, o ministro diz que o governo brasileiro não pode mais aceitá-lo como interlocutor após suas declarações sobre a preparação do país para […]

Arquivo Publicado em 05/03/2012, às 21h11

None

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, enviou nesta segunda-feira à Fifa uma carta pedindo o afastamento do secretário-geral da entidade, Jérôme Valcke, das negociações sobre a Copa do Mundo de 2014. Na carta, o ministro diz que o governo brasileiro não pode mais aceitá-lo como interlocutor após suas declarações sobre a preparação do país para o Mundial.


Na última sexta-feira, Valcke afirmou que o Brasil estava mais preocupado em ganhar a Copa do que em organizá-la. Disse também que organizadores do Mundial precisavam de “um chute no traseiro”.


No sábado, Aldo Rebelo convocou uma entrevista coletiva para anunciar que não aceitaria mais Valcke como interlocutor da Fifa para assuntos ligados à Copa de 2014. A carta desta segunda-feira oficializa a posição.


Confira a integra da mensagem



    Brasília, 5 de março de 2012


    A Sua Excelência o Senhor


    JOSEPH SEPP BLATTER


    Presidente da Fifa


    Lausanne-Suíça


    Senhor Presidente,


    1.       Ao longo dos últimos anos, especialmente com a aproximação da Copa do Mundo Fifa 2014 no Brasil, as relações entre o Governo Brasileiro e a Fifa têm se pautado pelo mais alto nível de respeito, cordialidade e reciprocidade.


    2.       O Brasil sempre se portou, tanto na candidatura como na organização do mundial, de forma correta e consciente da sua capacidade de realizar a XX Copa do Mundo de Futebol.


    3.       Assim sendo, recebemos com espanto as inapropriadas declarações do senhor Jérôme Valcke nos últimos dias à imprensa internacional. A forma e o conteúdo das declarações escaparm aos padrões aceitáveis de convivência harmônica entre um país soberano como o Brasil e uma organização internacional centenária como a Fifa.


    4.       Diante desta realidade, o Governo Brasileiro não pode mais aceitar, nas suas tratativas com a Fifa, o Senhor Jérôme Valcke como interlocutor durante a preparação desse mundial.


    5.       Estamos empenhados e confiantes na construção de uma grande Copa.


    Com apreço,


    ALDO REBELO


    Ministro de Estado de Esporte


    Governo da República Federativa do Brasil


Jornal Midiamax