Geral

Apontado como um dos mentores da morte do cacique Nísio consegue Habeas Corpus

Os advogados de defesa do presidente do Sindicato Rural de Aral Moreira, Osvin Mittanck, conseguiram nesta terça-feira, 24, Habeas Corpus, no Tribunal Regional Federal. O fazendeiro continua preso em Ponta Porã aguardando o trâmite burocrático em nível estadual para ganhar o direito de responder em liberdade. Osvin Mittanck foi preso preventivamente na manhã do dia […]

Arquivo Publicado em 24/07/2012, às 21h42

None

Os advogados de defesa do presidente do Sindicato Rural de Aral Moreira, Osvin Mittanck, conseguiram nesta terça-feira, 24, Habeas Corpus, no Tribunal Regional Federal. O fazendeiro continua preso em Ponta Porã aguardando o trâmite burocrático em nível estadual para ganhar o direito de responder em liberdade.

Osvin Mittanck foi preso preventivamente na manhã do dia 4 de julho em uma operação da Polícia Federal, durante processo de investigação do sumiço e suposta morte do cacique Nísio Gomes.

O caso

O cacique Nísio Gomes desapareceu durante um atentado, em novembro de 2011, a índios guarani que ocupavam áreas de duas fazendas no acampamento Guaviry, entre Amambai e Ponta Porã. O atentado, realizado por um grupo armado, terminou com o desaparecimento do líder indígena Nísio Gomes. Testemunhas, os índios que sobreviveram afirmaram que o cacique teria sido atingido por tiros de armas de fogo e carregado desacordado na carroceria de uma caminhonete.

O presidente do Sindicato Rural, entre outras 17 pessoas, teve o mandado de prisão preventiva emitido pelo juiz federal após o pedido feito pela Polícia Federal e aprovado pelo Ministério Público Federal.

Jornal Midiamax