Geral

Apesar de apelos, Felipão diz que não pensa em renovação e admite que pode “virar a casaca”

Felipão é considerado um dos maiores responsáveis pelo título do Palmeiras na Copa do Brasil e apesar do presidente, Arnaldo Tirone, garantir sua permanência, caso seja reeleito, o treinador nem quer conversa sobre o assunto. Indagado se já pensa na Libertadores do ano que vem e se já conversou com a diretoria sobre a renovação, […]

Arquivo Publicado em 18/07/2012, às 01h05

None

Felipão é considerado um dos maiores responsáveis pelo título do Palmeiras na Copa do Brasil e apesar do presidente, Arnaldo Tirone, garantir sua permanência, caso seja reeleito, o treinador nem quer conversa sobre o assunto. Indagado se já pensa na Libertadores do ano que vem e se já conversou com a diretoria sobre a renovação, ele foi claro.


“Eu estou muito mal no Campeonato Brasileiro. Não tenho que pensar em renovação. Só vou pensar nisso em dezembro, quando o time estiver bem e ainda tem a reeleição. Hoje não quero nem pensar e imaginar sobre a ideia de permanecer no Palmeiras”, disse o treinador a Rádio Bandeirantes.


Luiz Felipe Scolari também falou sobre seleção brasileira, disse que seu retorno foi ventilado em 2010 e comentou sobre a possibilidade de dirigir os rivais de Palmeiras e Grêmio, dois times que caíram no gosto do treinador.


“Existem dois times que eu realmente gosto. Palmeiras e Grêmio… Aceitaria dirigir o Inter sim. Em 2010, eles me procuraram e fizeram uma bela proposta. Não aceitei porque sabia que se não ganhasse a Libertadores seria muito pressionado. E o Corinthians, apesar de ser rival do Palmeiras, treinaria normalmente. Embora seja muito díficil”.


Com contrato até o fim do ano, Felipão anunciou ainda que o Palmeiras continuará mandando seus jogos na Arena Barueri, mesmo contra o desejo de alguns torcedores e conselheiros do clube.


“Não ter um campo para jogar é horrível… Estamos fazendo Barueri da nossa casa e não vai mudar. Podem ficar bravo comigo”, cravou o técnico, lembrando que “teve que engolir muito sapo” antes de levantar sua primeira taça em dois anos.


“O nosso torcedor tem que saber que nós fomos campeões por várias coisas que aconteceram no último ano. Quando eu só fiquei na minha área e outras pessoas assumiram outras. Eu aguentei e engoli o sapo que outros não engoliram, ‘picaram mula’ e foram embora”, esbravejou.


Jornal Midiamax