Geral

Ações de combate a dengue são reforçadas após isolamento do tipo 4 em Campo Grande

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) continua, juntamente com as secretarias municipais de Saúde, as ações intensivas de combate ao mosquito da dengue em todo Mato Grosso do Sul. De acordo com a SES, dois casos de dengue tipo 4 foram isolados em Campo Grande, um no Bairro Parati e outro na Vila Eliane. […]

Arquivo Publicado em 08/03/2012, às 19h24

None

A Secretaria de Estado de Saúde (SES) continua, juntamente com as secretarias municipais de Saúde, as ações intensivas de combate ao mosquito da dengue em todo Mato Grosso do Sul. De acordo com a SES, dois casos de dengue tipo 4 foram isolados em Campo Grande, um no Bairro Parati e outro na Vila Eliane.


Com isso, Mato Grosso do Sul registra os primeiros casos do sorotipo 4, porém segundo a a SES, os dois pacientes não apresentaram nenhum quadro clínico grave, já que receberam os cuidados primários nas unidades de saúde, não sendo necessária a internação e já se encontram em casa.


Como uma das medidas de prevenção, a SES e a Sesau já deslocaram viaturas e equipamentos adicionais para expandir o isolamento do mosquito fêmea nas duas regiões em que foram detectados os casos.


De acordo com o secretário adjunto de estado de Saúde, Eugênio Martins de Barros, as medidas de prevenção à dengue no Estado foram montadas desde o mês de outubro do ano passado, baseada na possível chegada do tipo 4, mas ressalta que as ações só terão total sucesso se a população também se prevenir.


“A Secretaria de Saúde se antecipou desde outubro do ano passado nas ações para combater o mosquito da dengue, baseado no alto quadro de detecção da dengue tipo 4 em outros estados, como Rio de Janeiro, Mato Grosso, Goiás e Pará. Era uma questão de tempo para que o vírus fosse detectado em nosso Estado, já que não há, até o momento, imunidade a este sorotipo. As condições climáticas atípicas do Estado no início do ano também colaboraram para que o vírus não se proliferasse. Vale ressaltar que as ações para combate ao mosquito e uma possível epidemia estão sendo tomadas desde o ano passado, mas para que elas funcionem totalmente precisamos que a população faça a sua parte evitando criadouros do mosquito, como acúmulo de água em garrafas vazias, pneus, lixo em terrenos baldios e outros vetores”, informa o secretário.


A SES e a Sesau continuarão o monitoramento nas regiões da Capital em que os casos foram detectados e nos demais municípios. É importante ressaltar que a dengue tipo 4 não é uma forma mais agressiva do que os vírus do sorotipo 1, 2 ou 3, registrando assim, os mesmos sintomas.


O seu agravante está em ser um novo sorotipo, ainda não constatado no país, o que aumenta a possibilidade de ocorrência de uma epidemia, caso as medidas de combate ao mosquito Aedes Aegypti não sejam tomadas corretamente.


A SES informa que, em caso de suspeita de sintomas da dengue, o paciente deve se dirigir à unidade de saúde mais próxima para que o sejam feitos os exames médicos iniciais, evitando que o quadro possa se agravar.

Jornal Midiamax