Geral

Vizinhos dizem que nunca viram Bin Laden no Paquistão

Em Abbuttabad,  cidade do Paquistão que Bin Laden escolheu para se esconder, todo mundo alega estar surpreso com o desfecho dessa história. Ser vizinho de Bin Laden? O fato é que todos garantem que jamais viram Bin Laden nas ruas, no comércio ou na mesquita. O chefe da al-Qaeda vivia enclausurado, preso em seu próprio […]

Arquivo Publicado em 09/05/2011, às 01h08

None

Em Abbuttabad,  cidade do Paquistão que Bin Laden escolheu para se esconder, todo mundo alega estar surpreso com o desfecho dessa história. Ser vizinho de Bin Laden? O fato é que todos garantem que jamais viram Bin Laden nas ruas, no comércio ou na mesquita. O chefe da al-Qaeda vivia enclausurado, preso em seu próprio esconderijo.


Atualmente, nenhum país dessa região do planeta é tão vigiado quanto o Paquistão.


Descendo a rua que dá acesso ao bairro onde fica a casa em que o terrorista morava, Bin Laden certamente deu de cara com uma base militar de elite, onde servem os soldados e oficiais mais bem preparados do país.


Na média, as casas do bairro são de boa qualidade. Muitas, com muros altos e arame farpado. A que o chefe da al-Qaeda ocupava não destoa da vizinhança. Tem três andares. O mais alto era ocupado pela família Bin Laden. Os dois abaixo, por outras pessoas, seguindo uma tradição local de dividir grandes residências entre várias famílias. A rua nem é asfaltada. Há várias casas em construção em volta e, logo atrás, hortas e lavouras de hortelã.

Ninguém anda nas ruas, avenidas e estradas do Paquistão sem passar por barreiras. São mais de 3 mil dos chamados “check points” espalhados por todo o país. Nas cidades, quem controla é a polícia. Nas rodovias, estradas e fronteiras, é o Exército.


Essa medida foi tomada pelas autoridades paquistanesas depois que o país ficou na mira do terrorismo. Então, como Bin Laden conseguiu chegar ao esconderijo e viver ali por vários anos sem ser descoberto?


Há dez anos, desde que se aliou aos Estados Unidos na luta contra o talibã, o Paquistão tem sido alvo de uma espantosa média de ataques terroristas: um a cada dois dias. O resultado é um mar de sangue: 34 mil paquistaneses mortos em uma década. Já foi pior antes da implantação das medidas de segurança.


Para viajar a Abbuttabad por terra só existem duas maneiras: pelas precárias estradas ou pelas gigantescas montanhas. Qualquer caminho é vigiado por homens armados. Eles não param todo mundo, mas são capazes de atirar à menor desconfiança.


A reportagem do “Fantástico foi à na rodovia que liga a capital, Islamabad, à cidade que Bin Laden escolheu para se esconder: Abbottabad. São 120 quilômetros de curvas, crateras e outros perigos, distância que ninguém percorre em menos de três horas.


Bin Laden poderia ter viajado de “ônibus”, caminhões lotadíssimos adaptados que trafegam carregando gente e mercadorias. O chefe da al-Qaeda ainda poderia ter ido na carroceria de uma dessas vans, muito usadas para transportar pessoas em trajetos mais curtos. Ou ainda na boleia de um dos caminhões enfeitados que percorrem as estradas levando cargas de todos os tipos e tamanhos, na garupa de uma moto, no volante de um trator ou a pé.


Sabe-se apenas que ele não foi direto para Abbottabad. Uma das três esposas do terrorista, presa no dia da ação americana, confessou que antes de se estabelecer na casa em que foi morto, Bin Laden se escondeu por alguns dias em Haripur, uma cidadezinha de 5 mil habitantes a 70 km de Abbottabad.


Os militares paquistaneses, que formam o quinto maior exército do mundo, acreditam que o chefe da al-Qaeda e muitos outros terroristas entraram no Paquistão em dois momentos: primeiro, logo após o ataque americano ao Afeganistão, que derrubou o talibã.  Outro momento foi logo após o grande terremoto de 2005, que arrasou o norte paquistanês.


Agora que Bin Laden morreu talvez jamais seja possível descobrir como ele chegou à pequena Abbottabad. Mas as autoridades paquistanesas seguem investigando, até porque a cidade é repleta de quartéis, uma espécie de centro militar do país, tanto que é a cidade com o menor índice de criminalidade de todo Paquistão. É difícil aceitar que, em um lugar tão seguro quanto esse, Bin Laden encontrou abrigo.


A maioria dos moradores só acredita vendo.  Um outro senhor diz que faltou provar que Bin Laden foi morto, um vídeo da operação ou fotos contundentes.

Jornal Midiamax