Geral

Viroses de verão lotam hospitais infantis da capital

Dias mais quentes, sol, piscinas, quem não gosta do verão? O problema é que a estação mais desejada do ano sempre traz consigo as famosas viroses. Passar as férias, com vômito, diarréia, dores abdominais e febres é comum. Por isso, os hospitais costumam lotar nesta época do ano. O Hospital Infantil São Lucas, o único […]

Arquivo Publicado em 21/12/2011, às 18h41

None
940524981.jpg


Dias mais quentes, sol, piscinas, quem não gosta do verão? O problema é que a estação mais desejada do ano sempre traz consigo as famosas viroses. Passar as férias, com vômito, diarréia, dores abdominais e febres é comum. Por isso, os hospitais costumam lotar nesta época do ano.


O Hospital Infantil São Lucas, o único que atende todos os convênios, segundo a gerente do local, enfermeira Estelita Moraes, estava lotado nesta quarta-feira (21). Pais, mães e crianças enchiam a recepção e o jardim do hospital esperando por atendimento.


A enfermeira não soube precisar o número de atendimentos, mas confirmou que aumenta bastante nesta época por causa das ‘famosas’ viroses.


Já a enfermeira Viviane Rabelo, que também trabalha no hospital, explicou que o atendimento estava em ordem e a lotação é por culpa de um surto de virose na capital.


Ela informa que se as crianças estiverem com vômito ou diarréia e tenha apresentado o sintoma por mais de três vezes é hora de procurar o médico. “Está tendo muitos casos de diarréia, vômito e febre na cidade. Se a criança estiver com os sintomas freqüentes precisa correr para o médico”.


A profissional ainda lembra que é preciso hidratar bastante. “Água o tempo todo. É precisa hidratar, porque quando a criança vomita e evacua perde muito líquido. E precisa hidratar para recuperar”.


Reclamações


Por causa da lotação alguns pais reclamaram da demora no atendimento.
A publicitária Loana dos Santos, 29 anos, disse que já esperava há algum tempo por atendimento e que não era a primeira vez que até o hospital.


Segundo ela, médicos plantonistas no local não clinicam de forma adequada. “A gente vem aqui eles passam dipirona, tylenol. São poucos os médicos que tem respeito pelo paciente”.


Outra mãe que preferiu não se identificar disse que também estava esperando a algum tempo para ser atendida e que o hospital estava muito cheio.


Hospital


A gerente do Hospital Infantil São Lucas, enfermeira Estelita Moraes, explicou que o local é o único que atende todos os convênios e por isso costuma ficar cheio. Entretanto, ela lembrou que todos que estavam, ali já haviam sido avaliados.


Dica


Outra dica importante é ficar de olho no que se bebe. Para a ingestão, a água deve ser mineral ou fervida. O mesmo vale para o gelo usado para refrescar as bebidas. A orientação é usar a água vinda da torneira somente para banho e serviços domésticos.

Jornal Midiamax