Geral

Vendas de títulos públicos a pessoas físicas pela internet bate recorde em maio

A venda de títulos públicos a pessoas físicas pela internet bateu recorde em maio. Segundo dados divulgados hoje (17) pela área econômica, as vendas do programa Tesouro Direto somaram R$ 360,91 milhões no mês passado, o maior volume mensal desde 2002, quando o serviço foi criado. A quantia é cerca de R$ 700 mil superior […]

Arquivo Publicado em 17/06/2011, às 22h39

None

A venda de títulos públicos a pessoas físicas pela internet bateu recorde em maio. Segundo dados divulgados hoje (17) pela área econômica, as vendas do programa Tesouro Direto somaram R$ 360,91 milhões no mês passado, o maior volume mensal desde 2002, quando o serviço foi criado.


A quantia é cerca de R$ 700 mil superior aos R$ 360,26 milhões registrados em janeiro. O programa também bateu outro recorde. Em maio, 10.088 participantes ingressaram no Tesouro Direto, o maior número de adesões para um único mês. Os novos cadastros fizeram o total de investidores subir para 245.994, o que representa aumento de 29,1% nos últimos 12 meses.


No mês passado, os títulos mais comprados pelos investidores foram os corrigidos por índices de preços, que representaram 56,8% do montante vendido. A participação dos papéis prefixados (com juros definidos com antecedência) correspondeu a 31,53%, enquanto os títulos indexados pela taxa básica de juros (Selic) responderam por 11,9% do total. Os investimentos de menor valor continuaram a liderar a preferência dos aplicadores. As vendas abaixo de R$ 5 mil corresponderam a 56,4% do volume aplicado no mês.


O Tesouro Direto foi criado em janeiro de 2002 para popularizar esse tipo de aplicação e permitir que pessoas físicas pudessem adquirir títulos públicos diretamente pela internet, sem a intermediação de agentes financeiros. O aplicador só tem que pagar uma taxa a corretora que ficará com a custódia dos títulos.


A venda de títulos é uma das formas que o governo tem para captar recursos para pagar dívidas e honrar compromissos. Em troca, compromete-se a devolver o valor com um adicional, que pode variar de acordo com a taxa Selic, índices de inflação, câmbio ou uma taxa definida antecipadamente.

Jornal Midiamax