Geral

Venda de roupas usadas faz sucesso nas feiras livres de Corumbá

As feiras livres de Corumbá têm chamado muita atenção pelo sucesso que as barracas de venda de roupas usadas vêm fazendo na região. Para conferir este tipo de comércio, a reportagem deste Diário foi à feira livre de domingo – a maior da cidade -, realizada na rua Ladário. Somente no domingo passado, 19 de […]

Arquivo Publicado em 21/06/2011, às 11h19

None

As feiras livres de Corumbá têm chamado muita atenção pelo sucesso que as barracas de venda de roupas usadas vêm fazendo na região. Para conferir este tipo de comércio, a reportagem deste Diário foi à feira livre de domingo – a maior da cidade -, realizada na rua Ladário. Somente no domingo passado, 19 de junho, mais de 10 barracas vendiam roupas usadas. Conversando com os revendedores, eles relataram que as roupas são provenientes de importações e que chegam a vender 500 peças em apenas um dia de feira.

“São roupas usadas, algumas até são novas, vêm com etiquetas, são roupas que vêm dos Estados Unidos, onde já não têm mais serventia. As roupas muitas vezes possuem algum defeito, mas mesmo assim, as pessoas compram, mandam para costureira e tingem. São roupas boas. Eu faço quatro feiras por semana e estou conseguindo manter minha família com a venda dessas roupas”, contou ao Diário a feirante Corina Guerreiro, 32 anos.

O movimento nas barracas é intenso, as pessoas se aglomeram em busca das melhores peças. São roupas para todos os tamanhos e idade, basta apenas ter calma para procurar. Em algumas barracas, as roupas ficam todas misturadas, então depende do cliente procurar com paciência a peça que lhe interessa.

Os preços variam, sendo revendidas a partir de R$ 1. As roupas mais caras são os casacos, muitos deles de couro e com excelente aparência. A reportagem conseguiu inclusive, encontrar uma barraca que revendia vestidos de festa. Alguns belos modelos, sendo que o mais caro deles era vendido por R$ 30. “Os turistas adoram nossas barracas de roupas usadas. Eles não têm vergonha alguma de comprar. Alguns chegam a comprar malas de roupas. Os vestidos de festa têm feito muito sucesso. No final do ano, muitas pessoas daqui de Corumbá também compraram. Os vestidos chegam a custar até R$ 30, se houver algo a consertar é só mandar em uma costureira, o que não sai caro”, relatou a feirante Rosana Charo, 43 anos.

Consumo

A dona de casa Rosângela Silva, disse ser adepta da compra de roupas usadas para toda a família. Segundo ela, isso ajuda no orçamento, pois vestir toda a família com apenas o salário do marido é uma situação difícil.

“Hoje comprei cerca de 20 peças e gastei R$ 20. Tem roupas para meus filhos, para mim e meu esposo. Essas bancas são boas opções para famílias que não têm condições de comprar roupas nas lojas. Muitas pessoas têm vergonha de comprar aqui, mas as roupas são de boa qualidade. É claro que para encontrar as peças boas você deve ter paciência e procurar. Além de vestir minha família, sempre que posso, compro umas peças para os parentes que moram no Taquaral (assentamento) e envio as roupas, essas barracas ajudam muito”, disse Rosângela.

No meio de uma das barracas, a funcionária pública Angélica Baroas, 51 anos, foi conferir a qualidade das roupas. Uma amiga havia lhe indicado e dito que as peças eram muito boas. “Uma amiga me mostrou alguns vestidos muito bonitos que ela comprou. Fiquei impressionada, pois eram peças novas, bons tecidos e com um preço muito acessível. Fiquei interessada e resolvi visitar. Já encontrei dois vestidos que me agradaram, porém, vou levar apenas um, quero experimentar, se der certo, volto outras vezes”, disse a funcionária pública.

Jornal Midiamax