Geral

Vencedores do Prêmio Esso são homenageados

Os vencedores do Prêmio Esso de Jornalismo 2011 foram homenageados na noite de quinta-feira (1), em jantar no JW Marriot Hotel, no Rio de Janeiro. Cerca de 180 pessoas se reuniram para celebrar a 56ª edição ininterrupta da premiação, patrocinada pela ExxonMobil. Foram distribuídos R$ 112 mil em prêmios. O momento mais importante da cerimônia […]

Arquivo Publicado em 02/12/2011, às 18h08

None

Os vencedores do Prêmio Esso de Jornalismo 2011 foram homenageados na noite de quinta-feira (1), em jantar no JW Marriot Hotel, no Rio de Janeiro. Cerca de 180 pessoas se reuniram para celebrar a 56ª edição ininterrupta da premiação, patrocinada pela ExxonMobil. Foram distribuídos R$ 112 mil em prêmios.


O momento mais importante da cerimônia ocorreu na entrega do Prêmio Esso de Jornalismo, aos repórteres Andreza Matais, José Ernesto Credendio e Catia Seabra, da Folha de S. Paulo, que conquistaram o  prêmio principal com a série de reportagens ‘O patrimônio e as consultorias que derrubaram Palocci’. Andreza Matais destacou que todo jornalista almeja ganhar um Prêmio Esso, “que caracteriza um reconhecimento da dedicação ao trabalho jornalístico. Valeu a pena ter sido jornalista, escolher essa profissão e ganhar esse prêmio, indica que você está no caminho certo”.


Os 100 anos de história da ExxonMobil no Brasil foi o tema do discurso do presidente da companhia, que também destacou a importância do Prêmio Esso. “Símbolo de excelência na produção editorial brasileira, ele alavancou carreiras e continua contribuindo para a consolidação de respeitados padrões do jornalismo brasileiro”, disse Michael Seidner.


Foram premiados jornalistas de todo o Brasil em outras 12 categorias de jornalismo impresso, além do Prêmio Esso de Telejornalismo. Todos tiveram seus trabalhos escolhidos pelas comissões de premiação no dia 10 de novembro.


Cátia Mazin, vencedora do Prêmio Esso de Telejornalismo, juntamente com Gustavo Costa, André Tal e Rodrigo Bettio, com o trabalho ‘Especial 40 anos – Transamazônica, a estrada sem fim’, transmitido pela Record, considerou a premiação um fato excepcional. “Antes, parecia um sonho muito distante. Este prêmio me deixou absolutamente honrada e envaidecida. Considero o ápice da minha carreira”.


Fabiana Moraes, vencedora do Prêmio Esso de Reportagem com o trabalho ‘O nascimento de Joicy’, publicado no Jornal do Commercio (Recife), disse que “ganhar com uma matéria que fala de uma transexual nordestina é bem emblemático. Mostra um amadurecimento do Prêmio e dos jurados para questões tratadas ainda com preconceito por uma parte da sociedade”. A série revela com  sensibilidade a história do agricultor João Batista, nascido no agreste de Pernambuco que, aos 51 anos, decidiu submeter-se a uma cirurgia de mudança de sexo.


O trabalho ‘Violência abortada’, publicado no jornal O Estado de S. Paulo’, vencedor do Prêmio Esso de Fotografia, mostra os instantes em que uma ação violenta foi evitada contra um jovem reciclador de 19 anos que se encontrava amarrado e prestes a ser assassinado. “Além de informar, esclarecer e trazer à tona fatos, a imprensa adquire em alguns momentos o poder de salvar vidas. Nós não somos policiais, mas o medo dos jornalistas fez com que os bandidos  desistissem de um assassinato que estava prestes a ser cometido”, disse o autor da sequência de fotos, Epitácio Pessoa.


Este ano foram submetidos 1.272 trabalhos para o Prêmio Esso, novo recorde na história da premiação, que também teve duas grandes inovações: as inscrições e julgamento online, que possibilitaram a economia de uma tonelada de papel; e a introdução da categoria Educação.


Premiação


Prêmio Esso de Jornalismo 2011: Andreza Matais, José Ernesto Credendio e Catia Seabra, com o trabalho ‘O patrimônio e as consultorias que derrubaram Palocci’, publicado no jornal Folha de São Paulo.


Prêmio Esso de Telejornalismo: Gustavo Costa, André Tal, Cátia Mazin e Rodrigo Bettio, com o trabalho ‘Especial 40 anos – Transamazônica, a estrada sem fim’, transmitido pela Record.
Prêmio Esso de Reportagem: Fabiana Moraes, com o trabalho ‘O nascimento de Joicy’, publicado no Jornal do Commercio (Recife).


Prêmio Esso de Fotografia: Epitácio Pessoa, com o trabalho ‘Violência abortada’, publicado no jornal O Estado de S. Paulo.


Prêmio Esso de Informação Econômica: David Friedlander, Leandro Modé, Fausto Macedo e Sonia Racy, com o trabalho ‘As fraudes no Banco de Silvio Santos’, publicado no jornal O Estado de S. Paulo.


Prêmio Esso de Informação Científica, Tecnológica e Ambiental: Daniela Chiaretti, com o trabalho ‘No topo do Mundo’, publicado no jornal Valor Econômico.


Prêmio Esso de Educação: Tatiana dos Santos, Cleisi Soares, Gilmar de Souza e Arivaldo Hermes, com o trabalho “Mestre com carinho’, publicado no Jornal de Santa Catarina (Blumenau).


Prêmio Esso Especial de Primeira Página: João Bosco Adelino de Almeida, Ana Dubeux, Carlos Alexandre, Plácido Fernandes, Marcelo Agner, Luis Tajes e Marcelo Ramos, com o trabalho “Eles nos envergonham… ela nos orgulha’, publicado no jornal Correio Braziliense.


Prêmio Esso de Criação Gráfica – categoria Jornal: Dennis Fidalgo Doimo e André Graciotti, com o trabalho ‘Troca de olhares’, publicado no jornal O Estado de S. Paulo.


Prêmio Esso de Criação Gráfica – categoria Revista: Elohim Barros, Adriana Verani, Jaqueline Amaral, Eva Uviedo, Flavia Durante, Ivan Obara, Fernando Luna, Paulo Lima, Lino Bocchini, Bruno Torturra Nogueira, Camila Fudissaku, Alex Vargas Cassalho, Thiago Bolotta, Vivian Villanova, Ricardo Calil, Amanda Mussi, Lia Hama e Diogo Rodriguez com o trabalho ‘Edição especial futuro’, publicado na revista Trip.


Prêmio Esso Regional Norte/Nordeste: Ciara Carvalho, com o trabalho ‘O Paraíso às avessas’, publicado no Jornal do Commercio (Recife).


Prêmio Esso Regional Centro-Oeste: Vinicius Sassine, com o trabalho ‘A morte no Berço das Águas’, publicado no jornal Correio Braziliense.


Prêmio Esso Regional Sul: Itamar Melo, com o trabalho ‘Caça-níqueis, caça-vidas’, publicado no jornal Zero Hora.


Prêmio Esso Regional Sudeste: Antonio Werneck, Waleska Borges e equipe da Editoria Rio, com o trabalho ‘Depois da tempestade, vem a corrupção’, publicado no jornal O Globo.


A Comissão de Premiação do Prêmio Esso de Telejornalismo 2011 atribuiu a distinção de ‘Melhor Contribuição ao Telejornalismo’ ao repórter cinematográfico Rogério Miguel de Paula, da Rede Inter TV, pelas cenas contidas na reportagem ‘O resgate de Dona Ilair’, exibida em várias emissoras do Brasil e exterior, cujo trabalho, segundo a comissão “evidenciou o senso de oportunidade, a coragem e a perseverança do profissional para registrar as imagens, características que destacam a atuação do repórter cinematográfico, função fundamental para o Telejornalismo.”


O Prêmio Esso de Jornalismo destinou este ano aos vencedores um total de R$ 112 mil, brutos. Além do prêmio principal, que leva o nome do programa, fixado em R$ 30 mil, e do Prêmio de Telejornalismo, estabelecido em R$ 20 mil, foram distribuídos R$ 3 mil para cada um dos quatro prêmios regionais, R$ 10 mil para as categorias de Reportagem e Fotografia e R$ 5 mil para cada uma das categorias de Primeira Página, Criação Gráfica-Jornal, Criação Gráfica-Revista, Informação Econômica, Informação Científica/ Tecnológica/ Ambiental e Educação.


Jornal Midiamax