A revista VEJA, traz reportagem , na edição que chega às bancas neste domingo, apontando suposta manutenção de força exercida paralelamente pelo ex-ministro José Dirceu, que ocorreria a partir de encontros reservados em um hotel de Brasília.

Segundo a revista, autoridades do executivo e parlamentares frequentam ou frequentaram o “gabinete paralelo” do ex-ministro no hotel em que ele se hospedava.

A queda do ministro Antonio Palocci, sugere a reportagem, ocorreu após horas de articulação para sua derrocada, paralelamente ao esforço então empreendido pelo Palácio do Planalto para manter Palocci no governo.

A revista relata que horas antes da demissão de Palocci, o ex-poderoso ministro José Dirceu recebeu para uma conversa de 54 minutos três senadores do PT: Delcídio Amaral, Walter Pinheiro e Lindbergh Farias. Esse último conta que foi ele quem pediu a audiência.

Segundo VEJA, os senadores negam que tenham ido tratar do assunto Palocci. Mas logo após o encontro, a reportagem registra que os três sendores foram a uma reunião da bancada do PT e recusaram-se a assinar nota em defesa do então ministro da Casa Civil, sob alegação, segundo a revista, de que a proposta não havia sido combinada com o Planalto.