Geral

Vasco derrota Botafogo e polariza disputa por título

O Vasco praticamente definiu na noite deste domingo que brigará com o Corinthians pelo título do Campeonato Brasileiro. Em clássico realizado no Estádio do Engenhão, o clube de São Januário derrotou o rival Botafogo pelo placar de 2 a 0 e igualou-se ao time do Parque São Jorge na liderança da Série A. As duas […]

Arquivo Publicado em 13/11/2011, às 22h55

None

O Vasco praticamente definiu na noite deste domingo que brigará com o Corinthians pelo título do Campeonato Brasileiro. Em clássico realizado no Estádio do Engenhão, o clube de São Januário derrotou o rival Botafogo pelo placar de 2 a 0 e igualou-se ao time do Parque São Jorge na liderança da Série A. As duas equipes, vitoriosas nesta 34ª rodada de competição, abriram cinco pontos em relação ao terceiro colocado Fluminense, restando apenas quatro confrontos para cada equipe na competição nacional.

Vitorioso diante do Botafogo, o Vasco chegou aos 61 pontos e segurou a segunda colocação – o time comandado por Cristóvão Borges está atrás do Corinthians na tabela por conta do número de vitórias conquistadas até aqui no Brasileiro (18 a 17). O clube comandado por Caio Júnior, por outro lado, praticamente abandonou a disputa pela taça ao permanecer com 55 pontos. Nos últimos cinco jogos pela Série A, a equipe de General Severiano sofreu quatro derrotas.

Precisando da vitória para evitar que o Corinthians disparasse na tabela de classificação, o Vasco dominou o arquirrival no duelo deste domingo. Em um clássico movimentado, o grande destaque acabou sendo o zagueiro Dedé. Defensivamente, o camisa 26 foi impecável, e anulou Loco Abreu. Como de costume nos últimos duelos, o jogador também apareceu no ataque, e deixou a sua marca neste domingo. O outro gol do clube da Colina foi anotado por Fellipe Bastos.

Embalado pela vitória no clássico, o Vasco volta a campo na próxima quarta-feira, às 21h50 (de Brasília), quando terá pela frente o Palmeiras, que não vence há nove jogos no Brasileiro. Por outro lado, o Botafogo tentará evitar que a queda de rendimento aumente ainda mais na mesma data. A partir das 20h30, a equipe de Caio Junior enfrentará o vice-lanterna, mas embalado América-MG, que somou vitórias sobre o líder Corinthians e o Fluminense, no Engenhão, nas duas últimas rodadas.
O jogo

Decisivo para as pretensões dos dois times no Campeonato Brasileiro, o clássico carioca deste domingo não poderia iniciar de uma forma diferentemente. Com duas equipes ofensivas, o duelo proporcionou o primeiro momento de apreensão logo aos 6min. O experiente meia Felipe recebeu passe de Allan, cortou para o meio e chutou forte no canto esquerdo. Entretanto, Jefferson, que vive grande fase, impediu o gol vascaíno.

A oportunidade criada pelo clube de São Januário imediatamente acordou o adversário. Um pouco tímido nos primeiros minutos e apostando muito nos longos lançamentos para Loco Abreu, o Botafogo aos poucos passou a trabalhar mais a bola no setor de meio-campo. Dessa forma, o time de General Severiano quase abriu o marcador. Aos 10min, Elkeson recebeu ótimo passe dentro da área e chutou em cima de Fernando Prass.

A movimentação e ofensividade dos dois times encantou o início do jogo. E, em um contra-ataque extremamente veloz, saiu o primeiro gol do clássico. Aos 16min, Éder Luís avançou pela direita e buscou Diego Souza e Felipe, que chegavam para finalizar. Entretanto, a bola passou e encontrou Fellipe Bastos. O meio-campista chutou colocado de esquerda e conseguiu superar o goleiro Jefferson, abrindo o placar no Engenhão.

O gol vascaíno acuou ainda mais o Botafogo. Em contrapartida, o Vasco assumiu o papel de diminuir o ímpeto do adversário e avançar somente nos contra-ataques. Justamente em uma destas jogadas de velocidade, o time de São Januário por pouco não aumentou. Fágner arrancou pela ponta direita e cruzou na medida para Diego Souza. Completamente livre dentro da área, o camisa 10 isolou o arremate e perdeu uma ótima chance.

Distribuído melhor em campo e apanhando o rival nos contra-golpes, o Vasco teve a oportunidade de aumentar a diferença depois de uma falha bisonha do setor defensivo botafoguense. Após Cortês perder a bola antes do meio-campo, Antônio Carlos se atrapalhou com Jefferson ao tentar recuar a bola. Esperto, Diego Souza roubou a posse do goleiro, que acabou obrigado a derrubar o camisa 10 dentro da área. Pênalti.

Na cobrança, contudo, o meia arrematou muito mal no canto direito do goleiro e facilitou o trabalho do jogador da Seleção Brasileira. O lance, entretanto, não abateu o time de Sâo Januário, que seguiu melhor até o final da primeira etapa.

A velocidade imposta pelo Vasco no tempo inicial se manteve no início dos 45 minutos finais. Logo aos 3min, o clube comandado por Cristóvão Borges por pouco não ampliou. Éder Luís entrou em velocidade dentro da área e chutou forte. Bem colocado, Jefferson espalmou e evitou que o adversário da Colina marcasse o segundo.

A pressão vascaína aumentou na etapa complementar. Apesar da vantagem no marcador e os constantes contra-ataques, o time de São Januário viu Jefferson protagonizar uma defesa excepcional no Engenhão. Depois de confusão dentro da área, Renato Silva chutou, e o goleiro botafoguense conseguiu espalmar na linha do gol, impedindo novamente o segundo tento vascaíno.

O ótimo trabalho do camisa 1 do time de General Severiano, entretanto, não conseguiu segurar quando o zagueiro Dedé foi quem avançou. Vivendo uma grande fase, o defensor roubou uma bola no campo do adversário, ligou o contra-golpe e apreceu dentro da área para, de cabeça, assinalar o segundo, aproveitando a desatenção do lateral esquerdo Cortês, que teve atuação apagada no clássico deste domingo.
O segundo gol esfriou o confronto no Engenhão. Além do menor ritmo aplicado pelo Vasco, a chuva também caiu no campo. Previsível no setor de meio-campo, o Botafogo errou muitos passes e não conseguiu entrar na segura defesa adversária. Sem saída, o time de Caio Júnior insistiu nas jogadas de pivô com Loco Abreu, mas viu a zaga rival minar a ação com o uruguaio.

O Botafogo cresceu no duelo somente nos 15min finais, quando o volante Rômulo acabou expulso. Depois de cometer falta em Elkeson no meio-campo, o jogador vascaíno reclamou com a arbitragem e viu o cartão vermelho. Com um a menos, o Vasco se fechou e procurou cadenciar o jogo, promovendo a entrada de Juninho. Com o camisa 8, a tática deu certo, e o “trem bala da Colina” se manteve colado ao líder Corinthians.

Jornal Midiamax