Geral

“Um segundo antes ou depois, poderia ser eu, ou alguém da casa”, diz PM que matou assaltantes

“Um segundo antes ou depois, a história poderia ser diferente, poderia ser eu”, disse o policial militar que agiu durante um assalto que resultou na morte da dupla Celso Abdias da Cunha Santos, 33 anos, e Katiuscia dos Santos, 22, por volta das 21h30 da última segunda-feira (26), na Vila Margarida em Campo Grande. O […]

Arquivo Publicado em 28/09/2011, às 14h53

None
1970177647.jpg

“Um segundo antes ou depois, a história poderia ser diferente, poderia ser eu”, disse o policial militar que agiu durante um assalto que resultou na morte da dupla Celso Abdias da Cunha Santos, 33 anos, e Katiuscia dos Santos, 22, por volta das 21h30 da última segunda-feira (26), na Vila Margarida em Campo Grande.

O PM e as vítimas do assalto foram à Derf (Delegacia de Roubos e Furtos), na manhã desta quarta-feira (28) para reconhecimento através de foto, de um dos autores que conseguiu fugir.

O casal de assaltantes, junto com o outro comparsa tentou roubar a casa da namorada do PM, que estava no local e reagiu. “Eu estava deitado na cama, quando bateram na porta chamando pela minha namorada. Abriram a porta, com a arma apontada para a cabeça da menina e mandaram todos ajoelharem com a cabeça baixa”, relata o PM. Momentos depois, um integrante da dupla que entrou na casa recebeu uma ligação e pouco depois chegou Katiuscia, a “Kaká”.

“Cadê a arma, cadê o dinheiro – diziam. Pensei até que soubesse que eu era policial, e estavam jogando verde pra colher maduro”, conta. Kaká revirava a casa a procura dinheiro, objetos e arma, no quarto ao lado. “Eu pensei: vai revistar aqui, vai encontrar a arma e vai descobrir que sou policial”, diz o PM.

Em questão de segundos, o policial pegou a arma que estava próximo ao hack, e deu a voz de prisão, quando foi surpreendido com Celso que estava com a arma em sua direção. O policial e a namorada, uma jovem de 22 anos, dizem agora, que pretendem mudar da casa.

O caso

Celso Abdias da Cunha Santos, 33 anos e Katiuscia dos Santos, 22 anos foram mortos durante a tentativa de assalto na Rua Genebra, Vila Margarida por volta das 21h30 de segunda-feira (26), em Campo Grande. O casal de assaltantes tentou roubar a casa da namorada do PM, que estava no local e reagiu. Um terceiro autor conseguiu fugir levando um notebook.

Duas mulheres e uma adolescente de 13 anos chegavam de carro, na casa quando foram abordadas por uma dupla de homens. O ladrão apontou a arma para a vítima exigindo que ela abrisse a porta da casa e entrasse junto com eles.

Ao entrar, o autor chamou pela jovem de 22 anos que estava dentro da casa com o namorado, o policial militar. Logo depois foram rendidos e obrigados a ficar abaixados no chão dentro do quarto. Neste momento “Kaká” entrou na casa e começou a revirar os objetos.

Após uma distração do autor que cuidava das vítimas, mantendo-as na mira de um revólver, o PM sacou uma pistola .40 e efetuou disparos contra o casal que veio a óbito ainda no local. Celso Abdias tem seis mandados de prisão em aberto. O terceiro comparsa conseguiu fugir do local e ainda está sendo procurado pela polícia.

Katiuscia dos Santos, a “Kaká”, foi presa e apresentada na Defurv (Delegacia Especializada de Furtos e Roubos de Veículos) no dia primeiro de junho deste ano por formação de uma quadrilha responsável por ao menos vinte roubos de caminhões e caminhonetes de frete da Capital que eram levados ao Paraguai. Leia em matéria relacionada abaixo.

Jornal Midiamax