Temer é recebido com honras no CMO e não fala de política

Michel Temer conheceu o centro operacional do Comando Militar do Oeste e recebeu a imprensa para uma coletiva, mas não respondeu sobre política
| 06/12/2011
- 00:23
Temer é recebido com honras no CMO e não fala de política

Michel Temer conheceu o centro operacional do Comando Militar do Oeste e recebeu a imprensa para uma coletiva, mas não respondeu sobre política

Com forte esquema de segurança e honras militares, o vice-presidente da República, Michel Temer, foi recebido no CMO (Comando Militar do Oeste) por autoridades civis e militares, na tarde desta segunda-feira (5), em Campo Grande (MS).

Após conhecer os resultados da Operação Ágata 3, Michel Temer atendeu a imprensa local para uma coletiva. Falou sobre a Operação, mas desconversou ao ser questionado sobre uma possível união entre PMDB e PT, nas eleições de 2014. “Ele é uma grande figura”, limitou-se a declarar Michel Temer sobre senador Delcídio do Amaral.

O vice-presidente, que depois de estar na capital sul-mato-grossense seguiu para Cáceres (MT), avaliou de forma positiva. “Essa operação começou em setembro. São três operações, Ágata 1, 2 e 3, e em todas elas houve assim uma espécie de ocupação das fronteiras do país. Uma preservação extraordinária das nossas fronteiras. Não só porque ela combate o ilícito, decorrente da circunstância de ser fronteira  com outros países, nas mais várias espécies de criminalidades, como também eles fizeram uma ação cívico-social extraordinária”.

Temer destacou os atendimentos realizados durante a Operação Ágata 3. “Foram milhões de atendimentos médicos, odontológicos, entre outros, que deu muito conforto a população das fronteiras”.

Michel Temer relatou que o governador André Puccinelli (PMDB) falou do interesse da população da fronteira para que esta operação continuasse para sempre. “Se respondeu que a operação continua, que a operação Ágata se verificou mais acentuadamente nestas ocasiões, mas sequencialmente se dá a operação sentinela, que é uma operação da Polícia Federal, do Ministério da Justiça e ao mesmo tempo, os membros do Exército, Marinha e Aeronáutica estão a disposição para continuar o combate desses ilícitos, nas fronteiras”.

Investimentos

Questionado sobre os investimentos para as regiões de fronteiras, Michel Temer afirmou que virão. “Investimentos virão não tenha dúvida, nós passamos momentos difíceis com a crise internacional. O Brasil teve uma redução dos gastos, mas evidentemente, em matéria de defesa, a intenção do governo é prestigiar com equipamentos, com verbas suficientes para manter estas operações”.

Operações

Com relação às operações, Michel Temer ressaltou que elas não serão permanentes, pelo menos no que tange novas ações. “Ágata 1, 2 e 3 foi o pico, digamos assim, das operações. Mas ela permanentemente estará protegida pelas Forças Armadas e mais que pelas Forças Armadas, pelos mecanismos de segurança que irmanaram nessa atividade com o Ministério da Justiça”.

Indígenas

O vice-presidente enfocou que os conflitos indígenas em Mato Grosso do Sul é uma questão permanente. “Até acabei de receber uma manifestação aqui, nós vamos levar para a União Federal. A União está sempre cuidando disso com muito cuidado”.

Veja também

A página foi criada para dar mais transparência sobre publicidade eleitoral exibida por meio de todas as plataformas da empresa

Últimas notícias