Geral

Teixeira alega “cerceamento de defesa” para não ser cassado

O vereador afastado Júnior Teixeira (PDT) afirmou, durante sua defesa na Câmara Municipal de Dourados nesta quarta-feira (16), que teve o direito de defesa cerceado. “Nenhuma testemunha minha foi ouvida, se eu for caçado hoje irei recorrer na justiça”, alegou o vereador. Teixeira ainda disparou: “até agora não fiz declarações na imprensa, porém a partir […]

Arquivo Publicado em 16/03/2011, às 15h39

None

O vereador afastado Júnior Teixeira (PDT) afirmou, durante sua defesa na Câmara Municipal de Dourados nesta quarta-feira (16), que teve o direito de defesa cerceado.


“Nenhuma testemunha minha foi ouvida, se eu for caçado hoje irei recorrer na justiça”, alegou o vereador. Teixeira ainda disparou: “até agora não fiz declarações na imprensa, porém a partir de hoje vou começar a falar”.


Teixeira é julgado por quebra do decoro parlamentar e já afirmou que fará a própria defesa. O vereador afastado, que é filho do ex-prefeito Humberto Teixeira, foi líder do prefeito Ari Artuzi durante período que atuava na Câmara Municipal, e foi um dos envolvidos na acusação de suposta participação em esquema de desvio de verbas públicas, através de duas operações da Polícia Federal: Uragano e Owari.


O vereador tem mandato até final de 2012, mas pode acabar sendo cassado. Teixeira tem até 2h para a defesa, mas já adiantou que “esclarecerá tudo em meia hora”. Ele faz sua defesa por ter destituído o próprio advogado.


A sessão desta quarta está prevista para acabar por volta das 13h. Cerca de 100 pessoas estão presentes no plenário da Câmara Municipal.


Anteriormente Teixeira teve pedido de adiamento do julgamento em 10 dias negado pela casa.

Jornal Midiamax