Geral

Taxa de crimes letais intencionais baixou em Mato Grosso do Sul

A 5ª edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, estudo que vem se consolidando como uma das principais ferramentas de disseminação de dados e estatísticas sobre a área de segurança pública, revela que em Mato Grosso do Sul a taxa de crimes letais intencionais por homicídio doloso diminuiu. Segundo o estudo divulgado na última semana, […]

Arquivo Publicado em 29/11/2011, às 18h49

None

A 5ª edição do Anuário Brasileiro de Segurança Pública, estudo que vem se consolidando como uma das principais ferramentas de disseminação de dados e estatísticas sobre a área de segurança pública, revela que em Mato Grosso do Sul a taxa de crimes letais intencionais por homicídio doloso diminuiu.


Segundo o estudo divulgado na última semana, em 2009 o número de crimes desta natureza era de 432, enquanto que em 2010 foi de 348. Variação de – 22,4%.


Já os crimes letais intencionais por latrocínio cresceram no estado. A variação foi de 20,4%. Em 2009 houve 8 registros deste tipo de crime no estado, enquanto que em 2010 houve 10.


O Brasil também teve redução de crimes letais intencionais. Em 2009, o país teve 42.023 crimes desta natureza, enquanto que em 2009 teve 40.974.


Comparado em seu mesmo grupo de pesquisa, Mato grosso do Sul perde apenas para Santa Catarina, que teve uma variação de – 63,8%. Santa Catarina apresenta redução, entretanto o sistema indica que o valor informado para Santa Catarina corresponde a apenas 31,7% das áreas cobertas pelas unidades policiais.


Lesão corporal seguida de morte praticamente dobrou no estado. A variação foi de 92,8%. Em 2009 houve 2 registros, enquanto que em 2010 houve 4.


O número de crimes violentos letais intencionais também baixou. A variação foi de – 21,06. Em 2009 houve 442 crimes deste tipo, em 2010 362.


Desafio


Um dos pontos revelados no anuário é que “em paralelo ao necessário investimento na estruturação de ferramentas e tecnologias que permitam reverter o cenário de piora na qualidade da informação, o Brasil enfrenta o desafio de pactuação de regras transparentes e obrigatórias de registro e publicação dos dados na área”.


O anuário


Divulgado na última semana, o Anuário Brasileiro de Segurança Pública, aponta cinco anos de esforços e investimentos na compilação de informações sobre as diferentes dimensões envolvidas nas políticas nesse campo e nas ações das polícias brasileiras.


Para sistematizar as informações, a metodologia da classificação dos grupos utilizou como indicadores sintéticos: 1) média do percentual de óbitos mal definidos; 2) média do percentual de óbitos por causas externas mal definidas; 3) média das taxas de mortes por agressões e das taxas de crimes violentos letais intencionais e; 4) percentual da cobertura.


Como resultado desses indicadores padronizados foi gerado três grupos de unidades da federação mediante o emprego da análise de agrupamento hierárquico. Mato Grosso do Sul ficou classificado no Grupo 1, que é o grupo com informações mais precisas e detalhadas. Neste grupo ficaram 16 Estados brasileiros.


Para acessar o Anuário Brasileiro de Segurança Pública clique aqui.

Jornal Midiamax