Geral

Surgem suspeitas sobre paternidade de bebês de clínica de Abdelmassih

Parte dos 8 mil bebês concebidos na clínica de fertilização do ex-médico Roger Abdelmassih, um dos mais famosos especialistas em reprodução assistida do país, não são filhos biológicos de quem fez o tratamento, segundo revelou uma revista neste sábado (14), citando dois inquéritos do Ministério Público e um ex-funcionário. Segundo a reportagem da revista Época […]

Arquivo Publicado em 14/05/2011, às 23h55

None

Parte dos 8 mil bebês concebidos na clínica de fertilização do ex-médico Roger Abdelmassih, um dos mais famosos especialistas em reprodução assistida do país, não são filhos biológicos de quem fez o tratamento, segundo revelou uma revista neste sábado (14), citando dois inquéritos do Ministério Público e um ex-funcionário.


Segundo a reportagem da revista Época desta semana, a conclusão foi obtida depois de testes de DNA serem feitos em pacientes da clínica e em seus filhos. O texto não cita a quantidade exata de casais afetados pelo procedimento enganoso, mas confirma que ao menos três casais, de São Paulo, Rio de Janeiro e Espírito Santo, já descobriram que o DNA de um dos pais não é compatível com o filho.


A matéria diz que o procedimento ilegal pode ajudar a explicar a alta taxa de sucesso da clínica de Abdelmassih. Em 2003, de acordo com a revista, 47,1% dos procedimentos resultaram em bebês, acima da média de 31,7% de casos de sucesso da Rede Latino-Americana de Reprodução Assistida.


A suspeita fazer experiências genéticas ilegais era conhecida desde fevereiro. O médico é procurado por violência sexual contra dezenas de mulheres e está foragido da Justiça. A liminar em seu favor, o último recurso do médico para continuar solto, foi cancelado.


Se ele for encontrado, pode passar o resto da vida na prisão. Mesmo condenado, Roger Abdelmassih levava uma vida praticamente normal até o início deste ano.

Jornal Midiamax