Sino da Caridade coleta doações para Natal de famílias carentes

O conjunto Guató, na parte alta de Corumbá, foi o local escolhido para o ponto de partida das equipes de voluntários da Campanha do Sino da Caridade, que teve início nesta segunda-feira, 05 de dezembro. Enfrentando o sol forte de Corumbá nesta época do ano, dezenas de jovens, em sua maioria alunos e ex-alunos da […]
| 07/12/2011
- 00:52
Sino da Caridade coleta doações para Natal de famílias carentes

O conjunto Guató, na parte alta de Corumbá, foi o local escolhido para o ponto de partida das equipes de voluntários da Campanha do Sino da Caridade, que teve início nesta segunda-feira, 05 de dezembro.

Enfrentando o sol forte de Corumbá nesta época do ano, dezenas de jovens, em sua maioria alunos e ex-alunos da Escola Dom Bosco, se dividem em equipes que vão de porta em porta em busca de doações de alimentos não perecíveis, roupas, calçados e brinquedos, que serão entregues a centenas de famílias menos favorecidas em vários pontos da cidade.

O mais jovem voluntário do grupo é Kevin Hellensberger de Bastos, 11 anos, que começou na campanha há 4 anos, seguindo exemplo trazido de casa. “Meus pais foram voluntários quando jovens e me ensinaram a gostar de ajudar o próximo. Sinto uma grande emoção ao fazer esse trabalho, fico feliz em saber que ajudamos a dar um bom Natal para várias famílias”, disse o garoto.

Se Kevin prova que a pouca idade não é motivo para se furtar ao voluntariado, Ane Caroline de Souza, também com 11 anos de idade, mostra que colaborar é algo que pode se praticar desde cedo. Assim que foi informada sobre a coleta de doações, ela foi até a dispensa de sua casa e trouxe uma doação.

“É um ato de caridade e aqui em casa todos incentivam e por isso fui lá dentro e busquei o açúcar. Já vi minha mãe doando e ela me ensinou esses valores”, contou a garota.Em outro ponto do bairro Nova Corumbá, Solange Nascimento Correa da Silva, aproveitou a passagem dos voluntários para fazer sua doação.

“Uma peça de roupa, um quilo de arroz que você tiver não vai fazer falta e todo mundo doando assim, vai contribuir para fazer feliz aqueles que precisam. Penso que aquilo que me sobra pertence ao outro que nada tem”, declarou.

Doar com coração

Marialva dos Santos Sales não esperava pela vinda dos voluntários, mas mesmo assim pediu um tempo e separou os donativos que tinha em casa. “A gente se sensibiliza com a situação das pessoas e nada mais natural do que cooperarmos. Diz assim: ‘que o pouco que você tem, você divide com seu irmão’. Isso é um gesto de solidariedade que, se todos o fizessem, nossa pobreza seria menor. Eu gosto de ajudar, me faz bem fazer o bem ao próximo”, falou ao lembrar aquilo que acredita ser o mais relevante no gesto.”Se você pode fazer algo por uma pessoa, faça e que seja de bom coração. O importante é a intenção e não a quantidade desde que seja dado com o coração”, ensinou.

Jorcinei Maciel, que coordena as equipes pelas ruas começou a ajudar na campanha 7 anos atrás como voluntário. Há 5, ele se tornou coordenador e afirma que segue no trabalho anual por um simples motivo: a satisfação em ver uma família feliz. A coleta de donativos segue até esta sexta-feira, 09 de dezembro, mas o trabalho das equipes continua, como ele explicou.

“Na próxima semana fazemos a separação e dependendo da quantidade de doações, veremos quantas famílias vamos beneficiar esse ano nesse período antes do Natal”, disse ao lembrar que estão cadastradas pelo menos 300 famílias para serem beneficiadas com as doações. “Só pra citar, temos cadastros na região conhecida como Jardinzinho, no Cravo Vermelho III, no fundo do bairro Aeroporto”, comentou.

Os voluntários estão percorrendo vários bairros de Corumbá nos períodos da manhã e da tarde. Quem quiser colaborar também pode ligar para o telefone (67) 3231-4508 para saber onde e como doar.

Histórico

O Sino da Caridade é promovido pela Cidade Dom Bosco, há mais de 40 anos. A campanha foi idealizada pelo padre salesiano Ernesto Sassida, que ao percorrer os bairros de Corumbá percebeu a miséria que a população enfrentava. Logo, começou a pensar como seria o Natal dessas crianças, que nem tinham o suficiente para comer durante o ano. Então o padre Ernesto teve a ideia de arrecadar alimentos, para doar no Natal. A campanha se chama “Sino da Caridade”, por conta da divulgação que era feita através de dois sinos.

Veja também

A página foi criada para dar mais transparência sobre publicidade eleitoral exibida por meio de todas as plataformas da empresa

Últimas notícias