Geral

Sindicalistas racham CGTB para fortalecer CSP

Com a saída do presidente nacional da Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB), Antônio Neto, que foi para a Central Sindical de Profissionais (CSP), houve um racha na CGTB. Mais de 200 sindicatos em todo o País passaram para a CSP, informa José Lucas da Silva, presidente da Federação Intrestadual dos Trabalhadores na Movimentação […]

Arquivo Publicado em 26/12/2011, às 18h20

None

Com a saída do presidente nacional da Central Geral dos Trabalhadores do Brasil (CGTB), Antônio Neto, que foi para a Central Sindical de Profissionais (CSP), houve um racha na CGTB. Mais de 200 sindicatos em todo o País passaram para a CSP, informa José Lucas da Silva, presidente da Federação Intrestadual dos Trabalhadores na Movimentação de Mercadorias de MS e MT – Feintramag, e ex-diretor da executiva nacional da CGTB.


“Todos os sindicatos da movimentação de mercadorias de MS já estão filiados à Central Sindical de Profissionais”, informa José Lucas, dizendo que, ao todo, são 10 sindicatos e mais a federação. “Nossa intenção é avançar mais não só no Estado, mas em todo o Brasil. O objetivo é nos fortalecermos bastante ainda este ano”, comentou o sindicalista.


Em fevereiro será realizado um congresso nacional da CSP para eleger a nova diretoria da entidade e também para traçar seus objetivos de luta nesse ano de 2012, ano de eleição, que será decisivo para os trabalhadores aprovarem ou não importantes matérias no Congresso Nacional, como por exemplo, a redução de jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais e fim do fator previdenciário.


Antônio Neto, segundo José Lucas, será candidato à direção nacional dessa central que antes aglutinava apenas profissionais liberais. Depois, abriu o leque e somou força com outras categorias de trabalhadores em todo o Brasil. Depois desse congresso nacional será tratado, nos estados, a criação das executivas estaduais para lutar pelos objetivos comuns dos trabalhadores sul-mato-grossense.

Jornal Midiamax