Geral

SFA agenda reunião para discutir citricultura e Lei de Defesa Vegetal

Após conhecer “in loco” os novos projetos de implantação de laranjais nos municípios de Três Lagoas e Aparecida do Taboado na Região do Bolsão, e conhecer as reais necessidades do setor, o Superintendente Federal de Agricultura no Mato Grosso do Sul, Orlando Baez, tomou a iniciativa de intermediar uma reunião emergencial entre a Secretária de […]

Arquivo Publicado em 15/03/2011, às 16h07

None

Após conhecer “in loco” os novos projetos de implantação de laranjais nos municípios de Três Lagoas e Aparecida do Taboado na Região do Bolsão, e conhecer as reais necessidades do setor, o Superintendente Federal de Agricultura no Mato Grosso do Sul, Orlando Baez, tomou a iniciativa de intermediar uma reunião emergencial entre a Secretária de Produção do Estado, Tereza Cristina Correa da Costa Dias (SEPROTUR) e os produtores de laranja que estão investindo no Estado.

A reunião será realizada no próximo dia 15 de março no Gabinete da Superintendência (SFA/MS) para discutir os gargalos enfrentados pelo setor na área de crédito (FCO) e a criação de uma Lei Estadual de Defesa Vegetal. Empresários paulistas estão sondando a região para implantação de mais de hum milhão de pés de laranja e a instalação de uma indústria para processamento do produto.

Para Baez, o que mais tem influenciado a decisão dos citricultores paulistas de investirem em novos plantios de laranja no Mato Grosso do Sul, são o baixo custo de aquisição de terras ou arrendamentos, e as condições sanitárias propícias, especialmente a ausência de focos do Greening, a doença mais temida dos citricultores.

Apesar dos inúmeros pontos positivos, existem situações que ainda precisam ser discutidas e avaliadas pelos técnicos do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (SFA/MS/MAPA), SEPROTUR, IAGRO e citricultores. Um dos assuntos da pauta será a questão das linhas de crédito do Fundo Constitucional do Centro-Oeste (FCO) e a aprovação de uma Lei Estadual de Defesa Vegetal que possibilitará a IAGRO uma cobrança maior aos comerciantes e produtores de mudas de citrus.

A área cultivada com citrus no Estado, na safra 2009/2010, chegou a 857,0 hectares segundo dados do Serviço de Sanidade Vegetal da SFA/MS. A citricultura é mais expressiva nos municípios de Três Lagoas e Aparecida do Taboado, contendo respectivamente 110,0 e 450,0 hectares plantados.

Técnicos da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (IAGRO) e Fiscais Federais Agropecuários do Serviço de Sanidade Vegetal da SFA/MS, juntamente com o Superintendente Orlando Baez, visitaram no dia 24 de fevereiro a Fazenda São Domingos, no município de Aparecida do Taboado, para conhecerem as novas áreas de laranja.

A Fazenda já foi palco de grandes plantios de cereais (milho, soja e feijão), mas hoje está parcialmente arrendada para os citricultores, João Luiz Scholl e Geovani Barroti, que já plantaram 150 mil mudas de laranja na propriedade. Os produtores também possuem laranjais na região de Tobi e Santa Fé do Sul/SP.

Segundo Barroti, o custo de implantação por muda no primeiro ano, pode chegar a dez reais por planta e a previsão de colheita no segundo ano, pode chegar 80 kg de laranja/planta.

Investimento federal – Este ano o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) já repassou a IAGRO mais de 700 mil reais. Em Agosto deverá ser repassado mais 630 mil em investimento e 300 mil em custeio para execução dos trabalhos na área de sanidade vegetal.

O avanço da citricultura e o controle do greening, são assuntos que preocupam os técnicos do Ministério, por isso nos próximos cinco anos serão repassados, por meio de convênio com a IAGRO, recursos federais da ordem de 10 milhões de reais. Os recursos atenderão também outras áreas como a ferrugem asiática da soja, a sigatoka negra das bananeiras e o bicudo do algodoeiro.

A Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (IAGRO), vem fiscalizando o comércio de mudas clandestinas de citrus, além de fornecer autorização para novos plantios e importação de mudas de outros estados.

Mediante convênio com o MAPA, várias ações na área de defesa sanitária vegetal estão sendo desenvolvidas para impedir a disseminação de pragas e doenças, principalmente o cancro-cítrico e o greening.

Jornal Midiamax