Geral

Senadora quer comissão para reunir projetos de interesse das mulheres

A senadora Marisa Serrano (PSDB-MS) propôs a criação de uma comissão temporária que reúna as melhores propostas de interesse das mulheres em tramitação no Senado e na Câmara, com o objetivo de acelerar sua tramitação e votação. Para tanto, a senadora apresentou requerimento em Plenário no dia 3, que ainda será submetido à votação. A […]

Arquivo Publicado em 09/03/2011, às 19h25

None

A senadora Marisa Serrano (PSDB-MS) propôs a criação de uma comissão temporária que reúna as melhores propostas de interesse das mulheres em tramitação no Senado e na Câmara, com o objetivo de acelerar sua tramitação e votação.


Para tanto, a senadora apresentou requerimento em Plenário no dia 3, que ainda será submetido à votação.


A comissão será composta por cinco senadores e igual número de suplentes e terá um prazo de 90 dias para realizar seu trabalho, disse Marisa Serrano em entrevista à Rádio Senado.


– A ideia é que [os projetos] sejam analisados e tenham andamento mais rápido.No Senado existem mais de 32 propostas entre decretos legislativos, emendas à Constituição, projetos da Câmara e do Senado, projetos de resolução e requerimentos de interesse das mulheres – elencou a senadora.


Entre as propostas existentes, Marisa Serrano citou a proposta de emenda à Constituição (PEC 10/08) do senador Paulo Paim (PT-RS) que institui a idade mínima de aposentadoria para as mulheres no Regime Geral de Previdência Social; a PEC 35/08, do senador Romeu Tuma, falecido no ano passado, que acrescenta artigo à Constituição para facultar às mulheres o serviço militar; e o projeto (PL 4966/05) do deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) que cria o Centro de Atendimento Integrado à Mulher para atender mulheres vítimas de estupro.


Participação política


Outro tema abordado na entrevista foi a ainda pequena participação feminina na política. Indagada se teria notado alguma diferença no pleito de 2010, Marisa Serrano disse que, apesar de a mulher se empenhar no período eleitoral como cabo eleitoral, sua “cidadania política está muito baixa”.


Citando os números do Senado onde as mulheres representam 14,8% do total de senadores e os da Câmara, onde entre 513 deputados somente 45 são mulheres, perfazendo um total de apenas 8%, a senadora criticou os partidos políticos que, segundo ela, cedem pouco espaço à participação da mulher.


– As mulheres são mais de 50% do eleitorado e têm uma maneira holística de ver o mundo, e a junção de homens e mulheres pode tornar o mundo mais justo. A política pensada também por mulheres, no trato da coisa pública, será para todos – disse a senadora.

Jornal Midiamax