Geral

Sem detalhar compra, Governo de MS adita em R$ 900 mil contrato com Gráfica Alvorada

O valor do contrato inicial, em outubro, já era de R$ 3.697.200,00 (três milhões, seiscentos e noventa e sete mil e duzentos reais) e descreve como objetivo apenas 'aquisição de acervo bibliográfico do livro Tosco'.

Arquivo Publicado em 26/12/2011, às 16h30

None
1804747995.jpg

O valor do contrato inicial, em outubro, já era de R$ 3.697.200,00 (três milhões, seiscentos e noventa e sete mil e duzentos reais) e descreve como objetivo apenas ‘aquisição de acervo bibliográfico do livro Tosco’.

O Governo de Mato Grosso do Sul garantiu mais R$ 924.300,00 (novecentos e vinte e quatro mil e trezentos reais) para a Gráfica Editora Alvorada Ltda com um termo aditivo publicado na última sexta-feira (23).


O contrato inicial, em 26 de outubro deste ano, era de R$ 3.697.200,00 (três milhões, seiscentos e noventa e sete mil e duzentos reais) e tinha como objetivo aquisição de acervo bibliográfico do livro “Tosco” para atender a implementação do Projeto Trabalhando o Tosco na Escola. A vigência inicial é de 150 dias.


A menos de dois meses do primeiro contrato de aquisição do livro Tosco, usado para combater o bullyng e violência nas escolas estaduais, o governo publica o aditivo sem novamente expor detalhes sobre as quantidades adquiridas.


Quem assina o termo aditivo é Cheila Cristina Vendrami e Katiusi Romero Chaves. Já o contrato inicial da luta contra o bullyng é assinado por Celina de Mello e Dantas Guimarães, ordenadora da despesa da gráfica, e pela secretária de Estado de Educação Maria Nilede Badeca da Costa.


O Tosco


O projeto Tosco, que já é executado em algumas unidades educacionais e em Uneis de MS desde o segundo semestre, é baseado no livro de Gilberto Mattje.


Segundo a Editora, educadores comemoram a eficiência do material. “Para a professora de língua portuguesa da Estrela do Amanhã, Mara Nogueira, os resultados são satisfatórios”, diz nota no website da empresa.


Gráfica Alvorada


Mirched Jaffar Junior, proprietário da empresa, há muito se envolve nas campanhas eleitorais do grupo político de André Puccinelli, ele chegou a ser indiciado na Justiça Federal junto com o filho do governador, André Puccinelli Jr., e com o atual deputado federal Edson Giroto, num inquérito que investigou suposta denúncia falsa de crime eleitoral.

Jornal Midiamax