Geral

Presidente do FMI vai se declarar inocente das acusações de crime sexual

O diretor-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, “está no Comissariado da Polícia de Harlem [bairro de Nova York], onde deverá ficar, pelo menos, três horas”, disse hoje (15) um policial à agência de notícias AFP. Dominique Strauss-Kahn, que foi detido sábado por suspeita de abuso sexual, deverá comparecer ainda hoje a um tribunal […]

Arquivo Publicado em 15/05/2011, às 18h04

None

O diretor-geral do Fundo Monetário Internacional (FMI), Dominique Strauss-Kahn, “está no Comissariado da Polícia de Harlem [bairro de Nova York], onde deverá ficar, pelo menos, três horas”, disse hoje (15) um policial à agência de notícias AFP. Dominique Strauss-Kahn, que foi detido sábado por suspeita de abuso sexual, deverá comparecer ainda hoje a um tribunal de Nova York.

O juiz deverá decidir se fica em prisão preventiva ou se pagará uma fiança para aguardar o julgamento em liberdade.

Dominique Strauss-Kahn foi acusado de agressão sexual, sequestro e tentativa de violação contra uma mulher de 32 anos em um quarto de hotel em Nova York. Ele foi preso dentro de um avião da Air France, com destino a Paris, minutos antes de descolar do Aeroporto JFK, na cidade norte-americana.

O diretor-geral do FMI nega todas as acusações e vai declarar-se inocente, anunciou o advogado dele em Washington, William Taylor.

Jornal Midiamax