A Prefeitura de Corumbá vai criar uma equipe multidisciplinar de apoio aos portadores de anemia falciforme, doença grave, sem cura, e que pode trazer implicações sérias e até mesmo levar à morte. A iniciativa foi anunciada durante o encerramento do I Colóquio sobre a Doença Falciforme, promovido pela Secretaria Especial de Integração das Políticas Sociais, por meio da Gerência de Promoção da Igualdade Racial. Os portadores da doença falcêmica serão assistidos por um médico, terapeuta, terapeuta ocupacional, assistente social e psicólogo.

“É um avanço importante e que vai refletir positivamente na qualidade de vida dos portadores dessa doença, ainda bastante desconhecida por grande parte da população. Além deste grupo de apoio, a Prefeitura vai promover a capacitação de toda a equipe médica do Município, para que este paciente seja acolhido da melhor forma possível ns unidades de saúde”, avaliou a primeira dama e secretária especial de Integração das Políticas Sociais, Beatriz Cavassa de Oliveira, após o encontro com os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS), realizado na noite desta quinta-feira (11) na Casa da Cidadania.

“Este contato foi fundamental para continuarmos avançando no atendimento dos falcêmicos. Com esta troca de experiência, pudemos conhecer, através dos relatos dos pacientes e seus familiares, os problemas que eles enfrentam cotidianamente. A partir disso, vamos buscar outras melhorias para atender esta população”, complementou a secretária. O gerente de Promoção da Igualdade Racial, Davi Vital do Rosário, coordenador do colóquio, considerou a atividade extremamente positiva. “A interação entre o Poder Público e a comunidade será o diferencial para continuarmos avançando nesta questão”, comentou.

Depois de reunir os familiares e portadores da anemia falciforme, a gerência vai realizar o cadastro de todos os pacientes existentes no município. Em seguida, a Prefeitura vai oferecer o suporte necessário para a formação de uma associação. “Com uma entidade representativa forte, estes pacientes podem conquistar outros benefícios, inclusive nas esferas Estadual e Federal”, reforçou Davi. Foram diagnosticados 16 casos da doença em nascidos vivos em Corumbá.

Tratamento

Em Mato Grosso do Sul, os dois hospitais referências no atendimento aos portadores de anemia falciforme ficam em Campo Grande. Hoje a Prefeitura de Corumbá disponibiliza transporte e o deslocamento interno dos pacientes, serviço que atende a todos os pacientes que precisam de especialidades ainda não disponíveis no município. Com a implantação da equipe multidisciplinar, o objetivo é reduzir a necessidade dos enfermos enfrentarem esta desgastante viagem até a Capital do Estado. “Vamos oferecer apoio aos falcêmicos para que eles possam dar continuidade ao tratamento aqui mesmo na cidade”, detalhou o gerente de Atenção em Saúde de Corumbá, Emerson Moreira.

O exame que detecta a anemia falciforme é a Eletroforese de Hemoglobina, que faz parte do teste de triagem neonatal (teste do pezinho) feito nos recém-nascidos brasileiros. Ela é uma doença genética de maior incidência no Brasil. Salvador tem a maior incidência do país, sendo um bebê a cada 650 nascidos vivos, o que representa em média 65 crianças por ano. O diagnóstico precoce, acompanhamento regular com equipe de saúde, além de suporte social podem reduzir muito e até evitar os agravos e complicações da doença.