Geral

Pinguela caída dificulta rota de moradores e serve de ‘apoio’ para criminalidade

Moradores ainda usam troncos da pontezinha caída para atravessar e chegar aos bairros vizinhos. O pedido é que a nova passagem seja de concreto e que tenha iluminação pública nas proximidades.

Arquivo Publicado em 25/09/2011, às 19h23

None
80722831.jpg

Moradores ainda usam troncos da pontezinha caída para atravessar e chegar aos bairros vizinhos. O pedido é que a nova passagem seja de concreto e que tenha iluminação pública nas proximidades.

Uma ponte improvisada sobre o Córrego Lageado em Campo Grande, que liga os bairros Jardim Manaíra e Lajeado, está caída há mais de duas semanas e por causa disto os moradores da região precisam fazer um percurso maior quando desejam ir para bairros que ficam do outro lado. Outros preferem se arriscar e passar pelos troncos e tábuas que ainda estão no local.

Dara Nogueira Laranjeira mora no Jardim Manaíra há pouco mais de um ano. Ela conta que a pontezinha já foi de ferro, mas não sustentou o grande fluxo de motos, bicicletas, moradores a pé e cadeirantes que diariamente vão para outros bairros para estudar, ir para creche, trabalhar ou em busca de auxílio em unidades de saúde na região.

“Teve uma noite dessas que um amigo do meu marido não sabia que a pinguela estava caída. Ele vinha de bicicleta e caiu dentro da água. Ele precisou de ajuda para sair de lá de dentro”, conta Dara Laranjeira. O filho dela Paulo Ricardo, de 12 anos, é uma das pessoas que constantemente ajuda moradores que insistem em atravessar pela ponte caída. Ele relata que há dois dias ajudou uma gestante que estava com sacolas e uma criança de colo a atravessar por meio das madeiras que ainda estão sobre o córrego.

Criminalidade

O presidente do Jardim Manaíra, Warley de Almeida ressalta que mais que a construção de uma ponte de concreto, os moradores precisam que ela seja para passagens de veículos, mesmo que apenas de pequeno porte, pois a que caiu e as anteriores só permitem veículos duas rodas, cadeirantes e pedestres.

Warley Almeida conta que na região são cometidos muitos furtos e roubos e os responsáveis por estes crimes acabam fugindo pela passagem gora caída. “A gente chama e a polícia vem só que quando chega ali tem que voltar porque não passa viatura. Até dar a volta a bandidagem já está longe”, lamenta.

Um morador que prefere não se identificar conta que há aproximadamente dois meses crianças que tomavam banho no córrego perto da pontezinha acharam parte de um crânio humano enterrado no leito. “Tinha até uma corrente de amarrar cachorro dentro. Ali também é comum achar quadros de motos que provavelmente foram furtadas e tiraram só as peças que interessava e gente usando drogas”, diz.

O presidente do Jardim Manaíra reforça que falta iluminação pública nas proximidades da ponte e isto provavelmente foi o que facilitou o crime de estupro de uma jovem que passava por ali. Ele questiona também a falta de opções de lazer na região. Na tarde deste domingo a reportagem flagrou crianças tomando banho nas proximidades da pinguela caída, o que segundo os moradores é a única opção, embora saibam dos riscos de afogamento.

Jornal Midiamax