A Petrobras não precisará importar gasolina em agosto, informou o diretor de Abastecimento da empresa, Paulo Roberto Costa, que não descartou porém a compra do combustível no mercado externo nos próximos meses, se a demanda nacional exigir.

“Se eu precisar, em 25, 30 dias chega a gasolina, mas para agosto não vai precisar”, disse Costa a jornalistas após o 1o Fórum Conteúdo Local, realizado nesta sexta-feira, no Rio de Janeiro.

Ele explicou que apesar da forte demanda por derivados líquidos no país –uma alta de 6 por cento no primeiro semestre contra igual período do ano anterior–, a Petrobras tem conseguido atender o mercado porque elevou sua produção em 50 mil barris diários de gasolina, conforme havia antecipado à Reuters no mês passado.

Segundo Costa, a necessidade de importação poderá aparecer em função de alguma parada programada ou mesmo não-programada de refinarias, em meio a uma produção menor que a esperada de etanol –veja mais em .

“A maior parada (programada de refinaria) já fizemos no primeiro semestre, as (paradas) do segundo são menores, mas se houve necessidade importaremos”, disse o executivo após palestra no evento.