Os pequenos mercados conquistaram 2,4 milhões de domicílios adicionais no período de um ano, de acordo com informações da consultoria Kantar Worldpanel. A pesquisa indica que subiu de 70 para 75% o número de lares brasileiros que fazem compras nesse tipo de varejo, na comparação do segundo trimestre de 2011 com o mesmo período do ano passado.

Investir em lojas de vizinhança é um dos principais motivos do crescimento do setor supermercadista, afirma o presidente da Rede Econômica de Supermercados, Marcos Costa. Conforme a Kantar, um levantamento com 8 mil lares mostra que no primeiro semestre deste ano, 35% dos consumidores utilizaram os chamados supermercados de vizinhança, para fazer compras consideradas de reposição – média de seis itens.

Além disso, 42% recorreram a eles para compras consideradas de despensa, que equivalem a 20 itens. Na pesquisa, os hipermercados ficaram com apenas 8% das compras no mesmo período. “Por esse motivo, a Rede Econômica tem tido sucesso nesses 11 anos de existência, e conta com 53 lojas afiliadas sendo 32 na Capital e 21 no interior, distribuída em 18 municípios.

Nem todas são de pequeno porte, mas estão distribuídas estrategicamente em diferentes pontos de Campo Grande e interior de MS, justamente com este intuito”, acrescenta o presidente da AMAS (Associação Sul-Mato-Grossense de Supermercados), Acelino de Souza Cristaldo aponta que, percebe-se no claramente no Estado e principalmente na Capital.