Geral

Pesquisa aponta que café, sexo e assoar o nariz aumentam a chance de derrames

Uma pesquisa realizada na Holanda adverte que café, sexo e assoar o nariz podem aumentar o risco de se sofrer um derrame. O estudo, que contou com 250 pacientes, identificou oito fatores de risco que estariam ligados a sangramentos no cérebro. Todos esses fatores aumentam a pressão arterial que pode provocar ruptura dos vasos sanguíneos, […]

Arquivo Publicado em 07/05/2011, às 15h50

None

Uma pesquisa realizada na Holanda adverte que café, sexo e assoar o nariz podem aumentar o risco de se sofrer um derrame. O estudo, que contou com 250 pacientes, identificou oito fatores de risco que estariam ligados a sangramentos no cérebro.

Todos esses fatores aumentam a pressão arterial que pode provocar ruptura dos vasos sanguíneos, de acordo com pesquisa publicada na revista especializada britânica Stroke. O sangramento pode acontecer quando um vaso sanguíneo enfraquecido, conhecido como um aneurisma cerebral, estoura. Isso pode resultar em danos cerebrais ou morte.

Os pesquisadores do University Medical Center, em Utrecht, acompanharam 250 pacientes durante três anos para identificar o que provoca derrames. Todos os fatores citados na pesquisa aumentam a pressão arterial capaz de resultar em ruptura dos vasos sanguíneos, de acordo como estudo.

Segundo a Stroke Association, uma entidade assistencial britânica voltada para o tratamento de acidente vascular cerebral (AVCs), serão necessárias mais pesquisas para verificar se os fatores citados podem de fato provocar derrames.

Apenas no Reino Unido, mais de 150 mil pessoas sofrem de um AVC por ano, dos quais quase 29 mil se devem a sangramentos no cérebro.

O estudo revelou ainda que café foi o responsável por 10,6% dos casos em que o aneurisma rompeu. Exercícios vigorosos e assoar o nariz foram os “gatilhos” de derrames respectivamente em 7,9% e 5,4% dos casos. Fazer sexo e fazer esforço para defecar responderam por 4,3% e 3,6%.

De acordo com a neurologista Monique Vlak, autora do estudo, ‘todos esses fatores induzem a uma súbita redução da pressão sanguínea, o que parece ser uma causa possível para a ruptura do aneurisma”.

A pesquisa mostra ainda que uma em cada 50 pessoas tem um aneurisma cerebral, mas algumas poucas sofrem um derrame.

O estudo só se debruçou sobre elementos que causam a ruptura. A alta pressão sanguínea enfraquece os vasos sanguíneos e isso pode ser provocado por se estar acima do peso, pelo fumo e por falta de exercícios físicos.

Sharlim Ahmed, pequisador da Stroke Assocation, afirmou que ”um súbito aumento da pressão sanguínea pode aumentar a possiblidade de ruptura de um aneurisma. Mas é muito difícil determinar se os fatores identificados nesse estudo estão definitivamente relacionados com um derrame ou se seriam apenas coincidências”.

”É preciso realizar diversos outros estudos para aferir se cada um desses fatores identificados pode fazer com que um aneurisma se rompa”, comentou Ahmed.

Jornal Midiamax