Geral

Peritos visitam suposto local de agressões em filial das Americanas em Campo Grande

Um grupo de três peritos da Polícia Civil, acompanhados pela delegada do 1º Distrito Policial Daniella Kades, estão na manhã desta quarta-feira (4) na filial das Lojas Americanas, localizada entre as ruas Dom Aquino e Marechal Rondon em Campo Grande. A Polícia espera recolher dados sobre a agressão do vigilante Márcio Antônio de Souza, 33 […]

Arquivo Publicado em 04/05/2011, às 12h54

None
484194938.jpg

Um grupo de três peritos da Polícia Civil, acompanhados pela delegada do 1º Distrito Policial Daniella Kades, estão na manhã desta quarta-feira (4) na filial das Lojas Americanas, localizada entre as ruas Dom Aquino e Marechal Rondon em Campo Grande.


A Polícia espera recolher dados sobre a agressão do vigilante Márcio Antônio de Souza, 33 anos, dentro do estabelecimento, sob a suspeita de furto de um ovo de páscoa, último dia 23 de abril.


Os peritos estão em uma sala próxima à entrada das Lojas Americanas na rua Dom Aquino. O objetivo inicial é periciar a veracidade das imagens do circuito interno cedidas pela loja. Segundo um dos peritos, também são procurados vestígios de sangue ou agressão dentro da sala.


Também acompanha o procedimento a advogada do estabelecimento, Guilianne Souza. A vítima e familiares não foram chamados. Por telefone Gilson, irmão de Márcio, afirmou acreditar que o local em que está sendo realizado a perícia é o mesmo das agressões ao irmão, e que os seguranças da loja teriam pedido ao pessoal responsável pelo circuito interno para se retirarem da sala no dia das agressões.


Adulteração


A filial de Campo Grande das Lojas Americanas encaminhou para a delegada Daniela Kades, do 1º Distrito Policial, um CD com imagens editadas e não as originais e completas como deveria ser para que a autoridade policial pudesse verificar as cenas captadas pelo circuito interno no dia que o vigilante Márcio Antônio de Souza, 33 anos, foi agredido por um segurança do estabelecimento.


A informação sobre a tentativa de manipulação foi repassada a reportagem por meio da advogada de Márcio, Regina Bezerra. Segundo ela, a empresa mandou um DVD com corte na sequencia das cenas e a autoridade policial fez novo requerimento e, ai sim, foram encaminhados outro cinco DVDs, que estão em análise.


O caso


Márcio Antônio disse que no dia 23 de abril, véspera de páscoa, foi até a frente da Americanas (Dom Aquino) entregar um ovo de páscoa para a filha de 11 anos. Feita a entrega ele resolveu atravessar a loja para buscar sua moto que estava estacionada do outro lado (Marechal Rondon).


Quando passava pelo túnel ornamentado com chocolates, foi abordado por um segurança do estabelecimento que acreditava que o rapaz tinha furtado um ovo, pois carregava um no capacete que estava em seu cotovelo.


O rapaz disse que foi levado para uma sala onde foi violentamente agredido. Ele teve o nariz quebrado em três partes e ficou com um dos olhos se abrir até esta terça de manhã. “Já consigo abrir o olho um pouco, ma a visão está bastante ruim”, relata.


Márcio vai retornar à Santa Casa de Campo Grande na próxima sexta-feira para ver se consegue marcar a cirurgia para reconstrução de seu nariz. A operação ainda não foi realizada devido ao inchaço no local.

Jornal Midiamax