Período chuvoso de dezembro a março deixa em alerta moradores do Jardim Columbia

Sem asfalto, buracos tomam conta da via, que em determinada parte é cortada por matos. Outros pedaços têm pedregulhos para amenizar a lama e evitar atolamentos, porém, há trechos onde passar com carro é inevitável não atolar.
| 06/12/2011
- 23:25
Período chuvoso de dezembro a março deixa em alerta moradores do Jardim Columbia

Sem asfalto, buracos tomam conta da via, que em determinada parte é cortada por matos. Outros pedaços têm pedregulhos para amenizar a lama e evitar atolamentos, porém, há trechos onde passar com carro é inevitável não atolar.

Dezembro chegou, e com ele começa o período de chuvas e aumenta a preocupação em alguns pontos de Campo Grande. No início da tarde desta terça-feira (6), o temporal deixou em alerta os moradores do Jardim Columbia, localizado na saída para Cuiabá.

À margem da BR-163, a rua Jarauçu ficou alagada com menos de 20 minutos de chuva. “Não tem drenagem, nem escoamento e tem muito buraco”, reclama Suzana Sandim, auxiliar administrativa de uma empresa localizada em um dos trechos mais críticos da rua. “Mas já foi pior, teve época que o matagal era tão grande que lá da BR não dava para enxergar as empresas aqui”, conta.

Sem asfalto, os buracos tomam conta da via, que em determinada parte é cortada por matos, e tem continuidade após alguns metros. Outros pedaços têm pedregulhos para amenizar a lama e evitar atolamentos, porém, há trechos onde passar com carro é inevitável não atolar. “O que falta aqui? Falta ter uma rua de verdade”, diz Suzana.

Após passar pelas empresas, a enxurrada segue o percurso e para em um posto de gasolina quase no final da rua. “Vem lixo, panela, cadeira, sem contar a água suja, empoça tudo aqui”, conta a dona do estabelecimento, Edna Emiko Uno Parron.

Há dois anos com o posto arrendado, ela diz que quando muda o tempo os funcionários já ficam preocupados. “Mas estamos de mãos atadas, sabemos que vai alagar, vai impedir o acesso ao posto e vamos perder clientes, que vai sujar tudo, mas não temos o que fazer”, lamenta Edna.

Moradores

Duas quadras abaixo da BR-163, mais para dentro do bairro, quem enfrenta o problema são os moradores. “Sempre que chove é essa situação”, conta a dona de casa Carla Alexandra Mendes Lima.

Com seis crianças para buscar na escola, Carla conta que tem que ir de bicicleta e pegar de dois em dois por causa da chuva. “Tem lugar que derrapa e outros que nem tem como passar”, diz.

Um pouco mais conformado com a situação, o aposentado Constantino Jorge da Silva passeia tranquilamente de bicicleta pelas ruas esburacadas. “Nos lugares que não dá para passar de bicicleta, eu desço e vou a pé mesmo”, diz, desacreditado de que a realidade irá mudar. “Você acha que alguém vai olhar para nós? Vai nada. A gente é esquecido aqui”.

Chuva

De acordo com o meteorologista Natalio Abraão, em Campo Grande choveu 94,2mm no período das 12h20 às 14h30, acumulando 97,8mm desde o início dos mês. O esperado para dezembro é de 206,5mm. “Ainda não parou de chover, portanto, este índice de 94,2mm deve ser maior. No total, só hoje quase chega à metade do esperado para o mês todo”, diz Natálio.

Ainda segundo ele, a chuva deve continuar até o início da noite desta terça-feira (6), mas amanhã e quinta-feira (8), a previsão é de mais pancadas de chuva.

Veja também

A página foi criada para dar mais transparência sobre publicidade eleitoral exibida por meio de todas as plataformas da empresa

Últimas notícias