Geral

Pátio do Detran em Campo Grande vira ‘berço’ de larvas do mosquito que transmite dengue

Enquanto autoridades municipais mobilizam até o Exército para combater o mosquito da doença que matou 22 pessoas no ano passado, pátio de órgão estadual abriga uma espécie de criadouro do mosquito

Arquivo Publicado em 26/01/2011, às 19h20

None

Enquanto autoridades municipais mobilizam até o Exército para combater o mosquito da doença que matou 22 pessoas no ano passado, pátio de órgão estadual abriga uma espécie de criadouro do mosquito

As campanhas contra os focos do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue, doença que matou 22 pessoas em Campo Grande no ano passado, ganharam força nos últimos dias, inclusive com o engajamento de militares do Exército Brasileiro, em Campo Grande. Porém, o pátio do Departamento Estadual de Trânsito (Detran) é um berçário para larvas do mosquito.

Os veículos removidos para o pátio tem acúmulo de água da chuva. Os carros que estão há mais tempo, em sua maioria, estão com vidros quebrados e isto facilita a entrada da água que fica parada em vários compartimentos. Em alguns deles tem muito lodo e a estofaria está toda rasgada.

A reportagem verificou in loco, na manhã desta quarta-feira, que as centenas de carros que estão no pátio do Detran à espera de um resgate por parte dos proprietários ficam a céu aberto, deteriorando com chuva e sol.

Engana-se quem pensa que apenas veículos que estão há mais tempo são os únicos criadouros do mosquito. Vários carros em bom estado de conservação, inclusive com poucos anos de uso também se transformaram em abrigo para o mosquito da dengue.

Há denúncia de um proprietário que está com o carro recolhido no pátio de que há, inclusive, furto de equipamentos eletrônicos, estepe e até peças de veículos ali depositados.

“Não sei quem, mas tem gente que quebra o vidro e tira o que interessa para vender. Além de destruir o carro, deixa aberto pra entrar água. Aquilo ali está uma vergonha”, denuncia.

Com os potenciais criadouros do mosquito da dengue, as pessoas que trabalham no órgão tanto funcionários quanto profissionais de guincho que levam os carros recolhidos em blitz ou acidente acabam ficando vulneráveis à doença.

Outra ameaça de dengue atingem os instrutores e alunos dos centros de formação de condutores (auto escola). Diariamente dezenas deles vão para as pistas onde acontecem as aulas práticas para conquista da Carteira Nacional de Habilitação.

Campanha

Em Campo Grande a Agência Municipal de Transportes e Trânsito (Agetran), Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) e a Ciptran (Companhia Independente de Transito), vistoriam a regularidade de todos os veículos dentro de ferros-velhos. A intenção é verificar a existência de possíveis veículos irregulares no Detran ou com queixa na polícia.

Ferros-velhos de Campo Grande são fiscalizados desde o dia 14 deste mês. A ação visa combater a dengue e constatar irregularidades nos empreendimentos. Quando constatado problemas os donos são notificados e, após uma segunda visita, podem ser multadas, tendo prejuízos de até R$ 4 mil. Ano passado a doença matou 22 pessoas na cidade.

Também foram mobilizados a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Controle Urbanístico (Semadur), Secretaria Municipal de Receita (Semre), Agência Municipal de Transportes e Trânsito (Agetran) e Secretaria Municipal de Saúde (Sesau), por meio da Coordenadoria de Vigilância Sanitária.

No pátio do Detran a reportagem observou um caminhão com várias carcaças em sua carroceria, mas assessoria de imprtensa da prefeitura da Capital informou que os veículos retirados dos ferros-velhos não foram para lá.


Veja mais fotografias do pátio do Detran em galeria de imagens, exibida na capa do Midiamax


Jornal Midiamax