Geral

Passeio de prefeito em carro oficial ”pode não ter sido adequado”, diz presidente do PPS

O vereador de Campo Grande e presidente regional do PPS, Athayde Nery, comentou o flagrante do prefeito de seu partido, Wiliam Douglas de Oliveira (Rio Verde de Mato Grosso) que foi visto dirigindo um veículo oficial da prefeitura na noite de segunda-feira (31) em um shopping da Capital. Para ele, à primeira vista não há […]

Arquivo Publicado em 03/02/2011, às 19h55

None

O vereador de Campo Grande e presidente regional do PPS, Athayde Nery, comentou o flagrante do prefeito de seu partido, Wiliam Douglas de Oliveira (Rio Verde de Mato Grosso) que foi visto dirigindo um veículo oficial da prefeitura na noite de segunda-feira (31) em um shopping da Capital. Para ele, à primeira vista não há irregularidade na conduta, mas reconheceu que pode não ter sido adequado para um agente público.


“É como a máxima de Júlio César [imperador romano]: não basta à mulher de César ser honesta, tem de parecer honesta”, disse.


Nery ponderou que os veículos oficiais devem estar à disposição de prefeitos, vereadores e secretários, desde que sejam usados dentro dos limites da moralidade. O chefe do partido disse que se houver algum ato lesivo, os fatos devem ser apurados.


Por meio da assessoria, Wiliam confirmou que frequentou o shopping com a esposa e disse que tinha ido jantar depois de um evento.


O carro oficial – uma caminhonete Toyota Hilux, ano 2009 e placa branca HTQ-1523 – possui mais de 10 multas junto ao Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MS), a maioria contraída no ano passado em Campo Grande. Fila dupla, excesso de velocidade, estacionamento em local proibido e uso de celular ao volante foram algumas das infrações verificadas, e o custo das penalidades ultrapassa R$ 1,5 mil.


Sobre as multas de trânsito, a assessoria afirmou que a prática comum da prefeitura é descontar o débito do salário do responsável, quando este é identificado pelas infrações.

Jornal Midiamax