Geral

Parque de Exposições está irregular desde 2004, afirma secretário de Meio Ambiente

Segundo a Semadur, os problemas no Parque de Exposições Laucídio Coelho não são novos. Mesmo que a emenda à Lei do Silêncio prospere, o local não possui a regularização ambiental.

Arquivo Publicado em 10/02/2011, às 15h47

None
565589955.jpg

Segundo a Semadur, os problemas no Parque de Exposições Laucídio Coelho não são novos. Mesmo que a emenda à Lei do Silêncio prospere, o local não possui a regularização ambiental.

Durante a audiência sobra a emenda à Lei do Silêncio, aprovada pela Câmara Municipal de Campo Grande, o diretor-presidente Marcos Cristaldo, da Semadur (Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano), afirmou que os problemas no Parque de Exposições Laucídio Coelho não são recentes.


“A Acrissul (Associação dos Criadores de Mato Grosso do Sul) teve o parque notificado desde 2004 pelos problemas ambientais e acústico. Pela Semadur, não são os shows que estão proibidos, e sim o Parque que está irregular”, esclareceu Cristaldo.


Segundo o representante, a associação entrou com processo de regularização ambiental no mesmo ano. Já em 2008, ainda sem a licença, a Secretaria informou todos os itens a serem regularizados no parque. Até o momento, o local ainda é considerado irregular pela Semadur.


Perguntado se a aprovação da emenda por parte do prefeito Nelson Trad Filho (PMDB) iria regulamentar a realização de shows no parque, Cristaldo se esquivou. Segundo ele, o prefeito irá receber um parecer técnico da Semadur e da Procuradoria Jurídica do Município para tomar a decisão, mas não garantiu que a mesma autorizará os eventos no Parque.


A polêmica proposta, apelidada de “emenda do barulho”, foi aprovada pelos vereadores na sessão de terça-feira (8) e agora espera ser aprovada, ou não, por Nelsinho.

Jornal Midiamax