Geral

Para Siufi, prefeito Nelsinho já descartou candidatura do irmão Marquinhos Trad

Deputado estadual não pode se candidatar devido ao grau de parentesco com o prefeito; ele só seria concorrente à prefeitura de Campo Grande se o irmão renunciasse ao mandato seis meses antes da disputa.

Arquivo Publicado em 21/03/2011, às 11h42

None

Deputado estadual não pode se candidatar devido ao grau de parentesco com o prefeito; ele só seria concorrente à prefeitura de Campo Grande se o irmão renunciasse ao mandato seis meses antes da disputa.

O presidente da Câmara dos Vereadores, Paulo Siufi, um dos pré-candidatos do PMDB à prefeitura de Campo Grande em 2012, afirmou que o prefeito Nelson Trad Filho iria dizer ao irmão Marquinhos Trad, deputado estadual, que ele não poderia ser candidato.

Segundo Siufi, o prefeito disse isso na reunião de sexta-feira (18) em que estiveram presentes o governador André Puccinelli e os outros dois pré-candidatos do PMDB, Carlos Marun, Secretário Estadual de Habitação e Cidades, e Edil Albuquerque, vice-prefeito, membros da cúpula peemedebista.

“O Nelsinho disse que iria falar para o Marquinhos que ele não seria candidato”, disse Siufi. Em fevereiro, ao ser perguntado se renunciaria ao mandato para que seu irmão pudesse ser candidato, o prefeito disse que o cumpriria até o fim e que Marquinhos teria que esperar para depois de 2012 por uma chance para ser prefeito.

“Se o Marquinhos quiser ser prefeito, vai ter que esperar outras eleições depois de 2012”, disse na época o prefeito.

Entretanto, de acordo com a Súmula nº 6 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), são inelegíveis para o cargo de prefeito o cônjuge e os parentes consangüíneos ou afins, até o segundo grau do titular do mandato, ainda que este haja renunciado ao cargo há mais de seis meses do pleito.

Após a reunião que definiu Siufi, Edil e Marun como pré-candidatos, o deputado Estadual Marquinhos Trad declarou que estava no páreo. “Eu vou ser candidato. Tenho uma coisa que nenhum dos nomes citados possui: apoio popular”, disse Marcos.

Sobre o impedimento de sua candidatura pelo parentesco que tem com o prefeito, Marquinhos afirmou que não pode “prever decisões judiciais” e que a questão é “controvertida” no país.

A respeito das declarações de Marquinhos, Paulo Siufi disse que, de acordo com a votação que teve para vereador nas eleições de 2008 e pesquisas feitas que ainda não teriam sido divulgadas, ele se considera gabaritado e acredita que possui apoio popular necessário para se tornar prefeito.

Siufi também afirmou que, se Marquinhos fosse candidato, ele apoiaria o deputado, pois acredita que Marquinhos é bom e trabalhador. O vereador também afirmou que gostaria de ter o apoio do deputado e que com ele ajudando teria a certeza de que não perderia a eleição.

Jornal Midiamax