Geral

PAC 2 prevê investimentos de R$ 3,8 bilhões em obras portuárias

O ministro da Secretaria dos Portos da Presidência da República, Leônidas Cristino, disse hoje (3) que o governo federal vai investir R$ 3,8 bilhões em obras de melhoria da infraestrutura portuária do país nos próximos anos. Segundo o ministro, os recursos fazem parte dos investimentos que o governo federal vai destinar às obras do Plano […]

Arquivo Publicado em 04/02/2011, às 00h58

None

O ministro da Secretaria dos Portos da Presidência da República, Leônidas Cristino, disse hoje (3) que o governo federal vai investir R$ 3,8 bilhões em obras de melhoria da infraestrutura portuária do país nos próximos anos.


Segundo o ministro, os recursos fazem parte dos investimentos que o governo federal vai destinar às obras do Plano de Aceleração do Crescimento 2 (PAC 2). “Nestes últimos anos o governo já vem avançando muito na melhoria dos acessos aquaviários do país. São obras de dragagem para aprofundamento e alargamento dos canais acesso, de recuperação dos berços dos cais existentes pelo país inteiro”.


O ministro lembrou ao obras obras nos portos do Rio de Janeiro. “Tem o PAC da Copa, onde o governo federal vai aplicar somente no porto do Rio de Janeiro algo em torno de R$ 300 milhões, em um primeiro momento. O processo licitatório já está na praça e ainda este ano, no mais tardar no começo do ano que vem, nós deveremos estar dando início às obras licitadas para melhorar a infraestrura para a Copa do Mundo de 2014″.


Paralelamente às obras do Porto do Rio, o ministro disse que o governo federal vai trabalhar também na melhoria da infraestrutura de outros portos.


“Vamos continuar a investir no Porto de Santos, onde os projetos já estão em execução, no Pará, em Pernambuco. Enfim, nós vamos trabalhar cada vez mais para viabilizar todos os portos brasileiros e em particular os dois principais que são o de Santos (SP) e o do Rio de Janeiro”.


As declarações de Cristino foram dadas no Palácio Laranjeiras, residência oficial do governo do Rio, após visita ao governador do estado, Sergio Cabral.

Jornal Midiamax