Geral

Órgãos da Capital planejam ações para reduzir mortes no trânsito

Além de ser a principal causa da morte de jovens entre 15 e 29 anos, a violência no trânsito mata mais crianças entre 5 e 14 anos em todo o mundo do que a AIDS ou malária. A Organização das Nações Unidas (ONU), depois de classificar este fator como uma crise humanitária, lança na quarta-feira […]

Arquivo Publicado em 10/05/2011, às 01h32

None

Além de ser a principal causa da morte de jovens entre 15 e 29 anos, a violência no trânsito mata mais crianças entre 5 e 14 anos em todo o mundo do que a AIDS ou malária. A Organização das Nações Unidas (ONU), depois de classificar este fator como uma crise humanitária, lança na quarta-feira (11) o projeto Década de Ação pela Segurança Viária. O evento mundial será reproduzido também em Campo Grande, por meio do Gabinete de Gestão Integrada de Trânsito – GGIT, que nesta manhã, reuniu seus membros para divulgar as ações pela redução de mortes em acidentes de trânsito. A reunião aconteceu no Sest/Senat e reuniu a imprensa local.


O foco da ação será voltado para a educação no trânsito envolvendo crianças e jovens. A Década de Ação pela Segurança Viária traça diversas diretrizes e atitudes para solucionar questões simples como o não uso de capacete por motociclistas, a ausência de faixa de segurança para pedestres, entre outros. A partir desta semana, serão desencadeadas blitze educativas, adesivagens de veículos, palestras, treinamentos e outras atividades envolvendo todos os órgãos participantes do Grupo de Gestão Integrada.


A estimativa é que mais de cinco milhões de vidas sejam poupadas até 2020. Segundo o presidente do GGIT, Rudel Trindade Júnior, as ações estabelecidas pela ONU são necessárias para o enfrentamento da gravidade, que é o problema das mortes nos acidentes de trânsito. “Além de combater diretamente as causas dos acidentes no trânsito local, vamos empreender ações pensando no presente, mas com o objetivo de construir o futuro. Para isso, vamos atingir as crianças e jovens, que têm sido as maiores vítimas no trânsito”, argumentou o diretor-presidente da Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran).


Neste sentido, a Agência de Trânsito passará a investir na educação do trânsito junto às escolas, por meio do jornal do Clube do Setinha, que será enviado pelo correio até a residência dos alunos. A idéia é que esses pequenos cidadãos despertem para a consciência no trânsito desde cedo. Outra ação que merece destaque são as estrelas que passaram a identificar os locais onde houve vítima fatal nas vias de Campo Grande. Por fim, a Agetran vai instalar um “placar da vida” em diversos pontos da cidade. O instrumento vai informar os dias sem mortes no trânsito na Capital. “A idéia é induzir as pessoas a fazerem uma reflexão sobre a paz no trânsito. As estrelas e o placar vão contribuir para essa consciência”, acredita Rudel.


O tenente-coronel Alírio Villasanti Romero, comandante da Companhia Independente de Policiamento de Trânsito (Ciptran), informou que nos primeiros quatro meses de 2011 houve uma redução de 29,7% em homicídios culposos no trânsito de Campo Grande. Os dados são referentes aos acidentes registrados em todas as vias da cidade, inclusive às estradas que passam pelo município.”A integração de todos os órgãos membros do GGIT busca um único objetivo: diminuir os acidentes graves e fatais em Campo Grande. É com essa visão que desenvolvemos ações nas ruas da Capital, colocando todo o efetivo da Ciptran a serviço da população”.


Lançamento oficial


Na próxima quarta-feira (11), os órgãos integrantes do Gabinete de Gestão Integrada de Trânsito (GGIT) farão o lançamento oficial da Década de Ação pela Segurança Viária, às 9h, na Cidade do Trânsito, no Parque das Nações Indígenas. O evento será realizado em todo o mundo e foi denominado “Amigos da Década”.

Jornal Midiamax